Edição digital
PUB
Media

Audiências TV: Dezembro trouxe presentes para SIC e TVI, que terminam ano em crescimento

A análise de audiências de TV da agência de meios Initiative, que integra o grupo Mediabrands, revela que em dezembro, o consumo televisivo em Portugal, em termos de audiência média, […]

Meios & Publicidade
Media

Audiências TV: Dezembro trouxe presentes para SIC e TVI, que terminam ano em crescimento

A análise de audiências de TV da agência de meios Initiative, que integra o grupo Mediabrands, revela que em dezembro, o consumo televisivo em Portugal, em termos de audiência média, […]

Sobre o autor
Meios & Publicidade
Artigos relacionados
Media e fabricantes perdem anualmente €1,8 milhões em pirataria e contrafação
Media
Audiências: TVI reforça liderança com 15% de quota
Media
Audiências Euro 2024: Jogo de abertura com mais de 1,5 milhões de telespetadores
Media
MOP e JC Decaux ganham concessão da SCTP
Publicidade
Wieden+Kennedy London assina campanha da Nike Football protagonizada por Mbappé, Haaland e Vini Jr (com vídeo)
Publicidade
Pinterest anuncia formatos publicitários baseados em IA
Digital
E-goi lança material educativo gratuito para fomentar estratégia de dados em empresas
BRANDED
38% dos consumidores considera que uso de IA na publicidade valoriza marcas
Publicidade
Toyota e Smart trabalham com novas agências
Marketing
Cannes Lions 2024: Está aberta a caça aos Leões
Cannes Lions


A análise de audiências de TV da agência de meios Initiative, que integra o grupo Mediabrands, revela que em dezembro, o consumo televisivo em Portugal, em termos de audiência média, aumentou +3.0% face ao mês de novembro.

A SIC, com um share de 14.3%, (+0.1p.p. vs. novembro) mantém-se como a estação líder de audiências. A TVI, com um share de 13.9% (+0.2p.p. vs. novembro), ocupa a 2ª posição, tendo sido o canal FTA que verificou maior crescimento face ao mês anterior. A RTP1 surge na 3ª posição, com um share de 11.3% (-0.6p.p. vs. novembro) e foi o único canal FTA que verificou uma diminuição do share vs. o último mês.

PUB

Num mês marcado pelas férias de Natal das crianças e de muitos adultos, destaque para o crescimento da tipologia dos “Outros” (Visionamento em diferido de alguns canais, visionamento residual de canais não auditados e outras utilizações da TV como streaming e consolas) de +1.1p.p. vs. novembro atingindo os 16.4% de share, valor superior ao share da SIC e TVI.

A PAY TV verificou uma diminuição de -0.6p.p. vs. novembro, no entanto em dezembro houve alguns canais que registaram um aumento do share. Destaque para o canal Hollywood que, com um crescimento de +0.5p.p. vs., novembro, ultrapassou a CNN Portugal e a Fox, subindo assim ao 5º lugar (2o lugar entre os canais PAY TV).

Destaque ainda para o Canal Panda, com um aumento de +0.1p.p. vs. Novembro, que entra assim para o top20 dos canais mais vistos do mês.


O último jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões entre o Porto e o Shakhtar Donetsk, transmitido pela TVI, foi o programa mais visto do mês. O jogo que garantiu a passagem dos dragões à próxima fase da competição alcançou uma audiência média de 1 milhão e 459 mil telespetadores, que representou um share de 29.9%.

Na 2ª posição ficou o último jogo da fase de grupos da Liga Europa entre o Sporting e o Sturm Graz, transmitido pela SIC. O jogo contou com uma audiência média de 1 milhão 192 mil telespetadores, atingindo um share de 24.8%.

O programa Big Brother – O Vencedor completa o pódio dos programas mais vistos do mês. O anúncio do vencedor foi visto em média por 1 milhão e 152 mil telespetadores, o que representou um share de 33.3% tendo sido o programa do mês que registou o share mais elevado.


No que toca às audiências por período horário, a RTP1 liderou durante as manhãs (7h30 – 12h30), com um share de 13.9% e durante o pré-prime com um share de 16.2%.

A TVI conquistou a liderança durante o 2º Prime-Time (22h30 – 24h00) e no late-night (00h-02h30) com um share de 16.0% e 14.8%, respetivamente.

O período do almoço (12h30-14h30), da tarde (14h30-18h30) e do 1º Prime-time (20h00-22h30) foram liderados pela SIC, com share de 20.9%, 13.6% e 16.2%, respetivamente.

Fonte: Initiative

Sobre o autorMeios & Publicidade

Meios & Publicidade

Mais artigos
Artigos relacionados
Media e fabricantes perdem anualmente €1,8 milhões em pirataria e contrafação
Media
Audiências: TVI reforça liderança com 15% de quota
Media
Audiências Euro 2024: Jogo de abertura com mais de 1,5 milhões de telespetadores
Media
MOP e JC Decaux ganham concessão da SCTP
Publicidade
Wieden+Kennedy London assina campanha da Nike Football protagonizada por Mbappé, Haaland e Vini Jr (com vídeo)
Publicidade
Pinterest anuncia formatos publicitários baseados em IA
Digital
E-goi lança material educativo gratuito para fomentar estratégia de dados em empresas
BRANDED
38% dos consumidores considera que uso de IA na publicidade valoriza marcas
Publicidade
Toyota e Smart trabalham com novas agências
Marketing
Cannes Lions 2024: Está aberta a caça aos Leões
Cannes Lions
PUB
Media

Media e fabricantes perdem anualmente €1,8 milhões em pirataria e contrafação

17% dos portugueses admite utilizar canais ilegais online para assistir a transmissões desportivas e 8% da população entre os 15 e os 24 anos adquire deliberadamente equipamento desportivo falso através da internet, revela estudo do EUIPO. Duas novas campanhas pretendem reduzir as infrações

A transmissão ilegal online de conteúdos e de eventos desportivos em direto gera anualmente mil milhões de euros de receitas ilícitas na União Europeia, um montante que as empresas de media perdem, revela um estudo do Instituto da Propriedade Intelectual da UE (EUIPO). A esse valor acresce uma perda total estimada de €851 milhões por ano de receitas para os fabricantes de equipamentos desportivos por causa da contrafação, o que equivale a 11% do total de vendas no setor.

Em Portugal, os prejuízos atingem os €12,9 milhões, motivados por uma redução de vendas estimada em 11,9%, refere o estudo europeu. “17% dos cidadãos portugueses acederam ou transmitiram conteúdos de fontes digitais ilegais para ver eventos desportivos, sendo que a percentagem entre os jovens dos 15 aos 24 anos foi de 34%”, informa o EUIPO em comunicado.

Segundo o estudo, o streaming é o método mais popular de acesso a conteúdos televisivos ilícitos, com 58% da pirataria na UE a ocorrer através de transmissão e 32% através de download. “8% dos jovens portugueses entre os 15 e os 24 anos adquiriram deliberadamente equipamento desportivo falso através da internet”, revela o documento.

“Este valor não inclui a economia paralela de equipamento desportivo como camisolas e calçado de futebol falsos, que representam uma parte significativa do total de €12 mil milhões de contrafações de vestuário na Europa por ano”, refere a EUIPO, que acaba de lançar duas campanhas de sensibilização, em complemento da Agorateka, uma ferramenta desenvolvida pelo instituto que ajuda os espetadores a identificar ofertas legais de conteúdos online, incluindo eventos desportivos.

Para reduzir o número de transmissões ilegais e combater a pirataria online de eventos desportivos e outros eventos ao vivo, o instituto estabeleceu também contactos com uma rede de autoridades administrativas nacionais. Além dessa campanha, está a dinamizar uma outra que apela ao combate à contrafação através de uma maior aplicação da lei e sensibilização, “para a qual o EUIPO contribui através de esforços de divulgação, implementação e monitorização”, esclarece ainda a instituição.

“Ao desfrutarmos da emoção da competição, é crucial jogar limpo. Os direitos de propriedade intelectual subjacentes a estes eventos protegem e reforçam as nossas experiências enquanto adeptos, apoiam os nossos atletas e inspiram futuros campeões. Ao assistir às emissões oficiais e ao comprar produtos licenciados, asseguramos que os nossos desportos amadores continuam a prosperar durante as gerações vindouras”, afirma João Negrão, diretor executivo do EUIPO.

Sobre o autorMeios & Publicidade

Meios & Publicidade

Mais artigos
Media

Audiências: TVI reforça liderança com 15% de quota

RTP1 e TVI são os canais que reforçam a quota de mercado na semana de 10 a 16 de junho, ao contrário da SIC, Cabo e Outros, que registam uma quebra. TVI aumenta vantagem sobre a SIC

O consumo global de TV regista tendência de crescimento esta semana, aumentando cerca de 14 minutos por dia face à semana anterior, ficando assim nas 5h32m diárias.

Nas variações de share semanal, RTP1 e TVI são os canais que reforçam esta semana, ao contrário da SIC, Cabo e Outros, que registam quebra nos seus shares, enquanto a TVI aumenta a vantagem sobre a SIC. Desta forma, a RTP1 aumenta e tem esta semana 12,7% de share, a SIC recua até aos 13,7% de share semanal, ao contrário da TVI, que reforça a sua liderança e tem agora 15,0% de share. Cabo e “Outros” registam ambos tendência de decréscimo, com a Cabo a descer até aos 38,9% de quota, e o “Outros” (que inclui o visionamento em time shift, streaming e vídeo/jogos) a descer de forma ligeira, tem esta semana 17,8% de share.

Na tabela dos canais mais vistos do cabo, há um novo ocupante no pódio da semana, o canal Hollywood, que ocupa a terceira posição e se segue aos habituais líderes CMTV e CNN Portugal. Nos lugares que se seguem ao pódio estão a SIC Notícias, Star Channel, TVI Reality, Star Movies, Globo e SIC Mulher. A fechar o top 10, está o Star Life, que esta semana regressa à tabela dos mais vistos.

O futebol continua a dominar o topo do ranking da programação, com as duas primeiras posições a serem ocupadas pelo último jogo de preparação da seleção nacional, ‘Futebol – Jogo de Preparação EURO 2024/Portugal X Rep. Irlanda’ e pelo primeiro jogo do Euro 2024, ‘EURO 2024: Fase de Grupos/Alemanha X Escócia’, ambos transmitidos na RTP1.

Seguem-se ‘Big Brother – Especial’, da TVI, a transmissão ‘EURO 2024: Cerimónia de Abertura’, feita na RTP1, e ainda a novela da TVI ‘Cacau’. Mais uma vez, é o programa da CMTV ‘Investigação CM/Tráfico a Céu Aberto’, o mais visto do cabo esta semana, com o top 5 novamente ocupado na totalidade por conteúdos da CMTV. Seguem-se o ‘Grande Jornal – Noite’, ‘Doa a Quem Doer’, e os programas desportivos ‘Pé em Riste’ e ‘Liga d’Ouro’.

Data Insights, Havas Media Network

Sobre o autorMeios & Publicidade

Meios & Publicidade

Mais artigos
Media

Audiências Euro 2024: Jogo de abertura com mais de 1,5 milhões de telespetadores

A RTP1 beneficiou da transmissão do jogo inaugural do Euro 2024, no entanto foi a TVI a estação a liderar no total do dia

O dia 14 de junho de 2024 fica marcado pelo arranque do Euro 2024. O jogo de estreia, em Munique, entre a anfitriã Alemanha e a Escócia deu o pontapé de saída à grande competição de seleções do velho continente. A seleção alemã venceu de forma convincente a Escócia por cinco bolas a uma. A RTP1 foi a estação que transmitiu o jogo de abertura, com os portugueses a corresponderem com uma boa audiência.

Em média, mais de 1,5 milhões de telespetadores assistiram à partida, a que correspondeu um share de 34.0%. Este foi também o programa mais visto do dia, superando as audiências dos jornais de informação. Para além da RTP1, a Sport TV1 também transmitiu o jogo em simultâneo, tendo alcançado uma audiência média de 40 mil telespetadores e um share de 0.9%.

A RTP1 beneficiou da transmissão do jogo inaugural do Euro 2024, no entanto foi a TVI a estação a liderar no total do dia. Com uma quota de share de 15.1%, a estação pública ultrapassou a SIC e aproximou-se da TVI, registando mais 4.5p.p. face à média de maio.

Quanto ao perfil de telespetadores que assistiu ao jogo, podemos verificar que foram os homens, de idade com mais de 55 anos de classe mais media/alta que registou maior afinidade com o jogo inaugural.

Comparativo com campeonatos anteriores em canal aberto

Se compararmos o primeiro jogo do Euro 2024 com os outros das duas últimas grandes competições, é possível verificar que este foi aquele que teve mais impacto. Registou uma audiência superior ao jogo de abertura do Euro 2020 entre a Turquia e a Itália.

A partida de abertura do Mundial de 2022 no Qatar, dos três jogos, foi a que verificou uma audiência mais baixa. Importa referir, que apesar da transmissão ter sido a um domingo, o horário do jogo (16h) foi um dos fatores que não ajudou a ter uma audiência mais elevada.

Alemanha X Escócia com pico máximo de 1,7 milhões de telespetadores

A transmissão do 1º jogo do Euro 2024, registou uma maior audiência durante a primeira parte. A Alemanha entrou forte no jogo e aos 19 minutos já vencia por duas bolas a zero. No período de descontos da 1º parte, a tarefa da Escócia de reentrar na partida fica praticamente impossível devido à marcação de uma grande penalidade e expulsão de um dos seus jogadores. Com o resultado em três a zero ao intervalo e com o jogo resolvido, a 2ª parte registou uma audiência mais baixa do que a 1ª parte, ainda assim superior a mais de 1,5 milhões de telespetadores.

Elaborado por Initiative/ Mediabrands Insight sobre dados CAEM/GFK reproduzidos em YUMI, Telereport –mMediamonitor; Alvo Ind 4+. Tipologia de audiência: Total Dia; Período da Análise: junho de 2024; Outros: Visionamento residual de canais não auditados, visionamento em diferido noutros dias e outras utilizações da TV como streaming e consolas

Sobre o autorMeios & Publicidade

Meios & Publicidade

Mais artigos
Publicidade

MOP e JC Decaux ganham concessão da SCTP

Com a vitória no concurso público da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto, a MOP passa a explorar a publicidade no exterior de 1.154 autocarros nas duas maiores cidades do país, uma vez que já conta com uma rede de 734 viaturas da Carris em Lisboa. A JCDecaux garante a exploração do exterior de seis elétricos no Porto

A MOP e a JCDecaux venceram o concurso público para a concessão da exploração publicitária lançado pela Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP). Os dois lotes que o integram abrangem apenas a publicidade no exterior das 426 viaturas contempladas no acordo. “Foram ambos a concurso público na plataforma Vortal, com o respetivo programa e caderno de encargos. Desse concurso resultou que foi adjudicado à MOP a exploração de publicidade no exterior de 420 autocarros de transporte publico urbano de passageiros de diferentes tipologias pelo valor de €1.827.137, acrescido de IVA à taxa legal em vigor, por três anos, com início a 1 de julho de 2024”, revela ao M&P um porta-voz da STCP.

“A adjudicação para a exploração de publicidade no exterior de seis elétricos de serviço público foi para a JCDecaux pelo valor de €633.060, acrescido de IVA à taxa legal em vigor, por três anos com início a 1 de julho de 2024”, revela ainda a mesma fonte. Com o acordo assinado após a vitória no concurso público, a MOP passa a explorar a publicidade no exterior de 1.154 autocarros nas duas maiores cidades do país, uma vez que já conta com uma rede de 734 viaturas da Carris em Lisboa.

“Estamos entusiasmados por manter a exclusividade na comercialização das redes de autocarros em Lisboa e Porto, com um produto que está alinhado com a nossa missão de proporcionar a melhor e mais completa oferta de publicidade exterior em Portugal. Continuaremos a comercializar essas redes de forma exclusiva nos próximos anos, oferecendo oportunidades para campanhas segmentadas e inovadoras”, refere Vasco Perestrelo, CEO da MOP, citado em comunicado de imprensa. A partir de 1 de julho, segundo a empresa, a vitória no concurso da STCP passa a garantir aos anunciantes da MOP o acesso a 2,5 milhões de consumidores maiores de 15 anos nas duas maiores e mais populosas cidades do país, gerando 175 milhões de contactos.

Sobre o autorMeios & Publicidade

Meios & Publicidade

Mais artigos
Publicidade

Wieden+Kennedy London assina campanha da Nike Football protagonizada por Mbappé, Haaland e Vini Jr (com vídeo)

Procurando capitalizar o interesse que o UEFA Euro 2024, que se realiza entre 14 de junho e 14 de julho na Alemanha, está a despertar um pouco por todo o mundo, o novo filme publicitário da submarca da Nike está a ser promovido nas redes sociais da insígnia

Os futebolistas Kylian Mbappé, Erling Haaland e Vinícius Júnior, também conhecido como Vini Jr, são os protagonistas da nova campanha publicitária global da Nike Football, desenvolvida e produzida pela Wieden+Kennedy London. Lançada em pleno campeonato europeu de futebol, Awaken Your Madness conta também com a participação especial de Ronaldinho Gaúcho, ex-futebolista brasileiro. Ao som de “There’s something wrong with you”, clássico de Screamin’ Jay Hawkins, o trio de desportistas apela à superação num filme de dois minutos e 22 segundos.

Além da televisão e dos suportes digitais, a campanha está a ser promovida nas redes sociais da marca, procurando capitalizar o interesse que o UEFA Euro 2024, que se realiza entre 14 de junho e 14 de julho na Alemanha, está a despertar em todo o mundo. O filme publicitário explora os rituais e as superstições dos protagonistas. “Há algo de especial que separa os que se encontram no topo de todos os outros” é a mensagem que a insígnia procura transmitir na nova campanha, informa a Nike Football no X. A Wieden+Kennedy colabora com a Nike desde 1982.

Sobre o autorLuis Batista Gonçalves

Luis Batista Gonçalves

Mais artigos
Digital

Pinterest anuncia formatos publicitários baseados em IA

O lançamento do Performance+, ferramentas que automatizam o processo de criação de campanhas e aumentam o desempenho através de IA, é outra das novidades. Os novos formatos publicitários estão, por agora, reservados a um grupo selecionado de marcas, como a Nike e a Wayfair

O Pinterest lançou o Pinterest Ad Labs, novo programa destinado a marcas selecionadas, como a Nike e a Wayfair, para testarem protótipos de novas ferramentas criativas e de anúncios. A criação de fundos para produtos, baseados nas preferências de compra dos utilizadores, e o aproveitamento das ‘Colagens’ do Pinterest (que permitem aos anunciantes recortar imagens) como formatos de anúncios são algumas das funcionalidades.

Com a nova funcionalidade de criação de fundos personalizados, as marcas podem agora tornar as publicações de anúncios mais atraentes aos utilizadores. Se um utilizador demonstrar uma tendência para um determinado estilo visual, a funcionalidade será capaz de fazer corresponder esse estilo ao fundo de um produto anunciado. O modelo de texto-imagem do Pinterest analisa o conteúdo publicado nos ‘mood boards’ do utilizador e, em seguida, utiliza esses dados para criar fundos que se adequem aos interesses do utilizador, fornecendo, por exemplo, mais contexto sobre a forma como o produto pode encaixar nos planos de design do utilizador.

Com a nova funcionalidade ‘Colagens’, que através de uma tecnologia de edição de imagens baseada em IA já permitia aos utilizadores recortarem produtos das publicações e adicioná-los a um ‘mood board’ personalizado, os anunciantes podem agora criar as próprias colagens e promovê-las num formato de anúncio interativo para os utilizadores. Os produtos promovidos em colagens vão poder ser comprados diretamente através da publicação, para simplificar a pesquisa e a compra ao utilizador.

Para além do Ad Labs e dos novos formatos publicitários, o Pinterest anuncia ainda o lançamento do Performance+, um conjunto de ferramentas que se destinam a automatizar o processo de criação de campanhas e a aumentar o seu desempenho através de IA. Para esta novidade, o Pinterest estabeleceu uma parceria com a empresa de software DoubleVerify, para proporcionar aos profissionais de marketing uma melhor capacidade de medir a segurança e a qualidade das campanhas no Pinterest.

Sobre o autorDaniel Monteiro Rahman

Daniel Monteiro Rahman

Mais artigos
BRANDED

E-goi lança material educativo gratuito para fomentar estratégia de dados em empresas

O conteúdo, disponível no site da plataforma, é um guia que auxilia as empresas a adotarem estratégias eficientes.

Com a crescente quantidade de dados partilhados, adotar uma estratégia eficiente é essencial para obter vantagens competitivas e impulsionar o crescimento dos negócios. Neste seguimento, a E-goi – plataforma de marketing omnicanal, lançou um material educativo exclusivo, disponível online e de forma gratuita, o checklist + template Data Strategy for Growth.

Desenvolvido por especialistas, o guia pretende auxiliar empresas na implementação de estratégias de dados eficazes e possui dois componentes principais:

Checklist Data Strategy: uma lista que indica e clarifica as etapas necessárias para a adoção de uma estratégia de dados eficiente.

Template Plano e Estratégia de Gestão de Dados: um modelo para guiar as políticas e manutenção de dados, garantindo práticas sustentáveis e seguras.

A iniciativa da E-goi está alinhada com um estudo da McKinsey & Company, que indica que a adoção de uma estratégia de dados eficiente pode aumentar a receita dos negócios em até 60%. Assim, o material desenvolvido visa promover o crescimento sustentável e competitivo para empresas de diversos setores.

Para William Thomsen, especialista em parcerias estratégicas da E-goi, “o material é essencial, pois ajuda a transformar dados em informações acionáveis e impulsionar estratégias eficazes”, destaca.

Para ter acesso ao material, faça aqui download gratuito: Data Strategy for Growth.

Sobre a E-goi

A E-goi é uma plataforma de automação de marketing omnicanal projetada para ajudar empresas a aumentarem as suas vendas enquanto economizam tempo. Com mais de 20 funcionalidades avançadas, a E-goi permite que conquiste novos clientes, fidelize a sua base existente e impulsione as vendas do seu e-commerce em até 34%, tudo isto através de uma única plataforma integrada.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais conteúdos
Publicidade

38% dos consumidores considera que uso de IA na publicidade valoriza marcas

Segundo o estudo da LG Ad Solutions, 80% dos inquiridos defendem que a utilização de IA deve ser regulada para evitar abusos e manipulações. 49% acreditam conseguir identificar os anúncios produzidos com esta tecnologia e 74% aprovam a opção por considerarem que permite uma maior personalização

74% dos consumidores sente que o recurso à inteligência artificial (IA) está a permitir a criação de anúncios mais direcionados, avança um estudo internacional da LG Ad Solutions. Além de confirmar que três quartos dos inquiridos valorizam a personalização da publicidade que lhes é dirigida, revela ainda que 49% estão convictos de que conseguem identificar a utilização de IA na produção dos anúncios, com 38% a aprovar essa opção por considerarem que valoriza as marcas. Na faixa etária entre os 35 e os 54 anos, essa percentagem sobe para os 51%.

Apesar de 30% dos 500 utilizadores de televisão conectada entrevistados considerarem que o uso de IA pode melhorar as comunicações publicitárias, 80% defendem, todavia, que a utilização dessa tecnologia deve ser regulada para evitar abusos e manipulações. A ideia é proteger os consumidores, a braços com um aumento crescente do recurso à IA.

“Com recurso à IA, as marcas podem criar campanhas globais altamente personalizadas, utilizando os insights que a tecnologia possibilita. Uma marca da LG Ads analisou as condições climatéricas locais de uma região para determinar o produto mais relevante a ser anunciado nessa área, sem necessidade de recorrer a campanhas separadas e aumento de recursos. São muitas as portas que se abrem, sobretudo em termos de televisão conectada”, sublinha Tony Marlow, diretor de marketing da LG Ad Solutions.

Sobre o autorLuis Batista Gonçalves

Luis Batista Gonçalves

Mais artigos
Marketing

Toyota e Smart trabalham com novas agências

A Us Digital Agency vai tratar da presença da Toyota no digital, através da criação e gestão de conteúdos no TikTok. A DLaundry está responsável por rentabilizar o alcance e consolidar o reposicionamento da Smart a nível global

A Toyota acaba de anunciar a Us Digital Agency como responsável pela sua implementação no TikTok, assumindo a criação de conteúdos, desenvolvimento de estratégias e gestão da presença digital da Toyota nesta rede social. A Smart, por seu lado, entrega à DLaundry a conta de  relações públicas, assessoria de imprensa e gestão de eventos da marca automóvel.

Com a colaboração da Us Digital Agency, agência de marketing e comunicação digital, a Toyota pretende alcançar novos públicos e fortalecer o relacionamento com os atuais clientes, através de conteúdos dinâmicos e criativos no TikTok. A Us Digital Agency tem como objetivo garantir que a Toyota se destaca na plataforma, em ligação com a sua comunidade e alinhada com a visão da marca. “O nosso objetivo é criar uma presença no TikTok que se conecte com o público mais jovem, refletindo o otimismo e progressismo que são o coração da marca”, explica em comunicado de imprensa João Jonas, CEO da Us Digital Agency.

Com a DLaundry, agência de relações públicas, eventos, e gestão de redes sociais do grupo Samy Alliance, a Smart tem como objetivo rentabilizar o alcance da marca e consolidar o reposicionamento da Smart a nível global. O desenvolvimento e implementação de estratégias de assessoria de imprensa, gestão do programa Smart Lovers e de experiências de marca no mercado português são as áreas de atuação, às quais se soma ainda a criação de eventos.

“Procurávamos uma agência que respondesse às nossas necessidades de relações públicas, mas também de ativação de marca e marketing de influência, com o início do programa de embaixadores Smart Lovers. A Samy posiciona-se como um parceiro estratégico, nesta fase embrionária da ‘nova geração Smart’, assumindo desta forma um papel de destaque na consolidação da marca no mercado português”, afirma Marta Pinto Lobato, diretora de marketing da Smart, citada em comunicado de imprensa.

Sobre o autorMeios & Publicidade

Meios & Publicidade

Mais artigos
Cannes Lions

Cannes Lions 2024: Está aberta a caça aos Leões

Portugal arranca com 151 trabalhos inscritos e sete duplas nas competições Young Lions. Mas o Cannes Lions vai muito além da disputa de prémios. Diariamente, os leitores vão poder acompanhar no site do M&P o que se vai passando no maior festival internacional de criatividade

Está aberto oficialmente o Festival Cannes Lions!

Durante uma semana, diariamente, os leitores vão poder acompanhar no site do M&P o que se vai passando no maior festival internacional de criatividade e a MOP, enquanto representante do Cannes Lions em Portugal, espera que haja muitos prémios para o nosso país.

Para quem nunca foi ao festival, ou já não vai há alguns anos, é difícil ter uma ideia real do que se passa neste evento. É uma semana que reúne na Cote d’Azur as principais individualidades e empresas do mundo da criatividade, comunicação e marketing no maior evento anual desta indústria. Todos os principais ‘players’ do setor estão presentes: as agências, as marcas, os media, as empresas de ‘adtech’, influenciadores, produtoras e todos os restantes ‘stakeholders’ da indústria.

O festival divide-se em duas grandes áreas. No centro está a competição em que agências de todo o mundo concorrem com os seus trabalhos criativos mais inovadores, disputando os cobiçados Leões de Ouro, Prata e Bronze e os Grandes Prémios. Estes troféus são reconhecidos como o símbolo máximo de excelência na indústria, e representam um grande orgulho para as agências e países vencedores.
Em 2023, voltámos para casa com seis Leões. Na edição deste ano, a 71ª do festival, Portugal tem inscritos 151 trabalhos, face aos 184 a concurso em 2023, num total de inscrições de 26.753, que representa um ligeiro recuo em relação a 2023 (26.992). Vamos ver o que acontece!

Dentro ou em paralelo com a competição principal acontecem os concursos Young Lions, em que os jovens talentos que se destacaram nos concursos nos seus respetivos países vão a Cannes a uma grande final, onde têm a oportunidade de competir pelo título mundial em cada categoria, com todos os holofotes da indústria a assistir. Na edição deste ano do Young Lions, Portugal participa com sete duplas criativas que saíram vencedoras do concurso local em sete categorias, cada uma delas patrocinada por marcas que apresentaram um briefing aos concorrentes.

Eis os vencedores em Portugal, que vão agora competir em Cannes: João Santos (Arena Media) e Débora Jaime (Arena Media) na categoria de Media (cujo briefing em Portugal foi da Leroy Merlin), Beatriz Raposo (LLYC) e Rita Paulo (LLYC) em Relações Públicas (EDP), Mariana Coimbra (ERA Imobiliária) e Francisco Vaz Santos (NOVA SBE) em Marketing (Worten), Francisco Machado (Judas) e Daniel Gordon (Trix) em Filme (Turismo de Portugal), Maria Branco (Judas) e Catarina Araújo (VML) em Imprensa/Outdoor (Betclic), Tomás de Matos Almeida (BBDO) e João Chicau (VML) em Digital (NOS) e, finalmente, David Canaes (Fuel) e Francisco Roque do Vale (VML) em Design (MOP).

É sempre bom recordar que Portugal é um dos países com melhor ‘track record’ no histórico da competição Young Lions do festival. Em 2023 ganhámos uma medalha de Bronze em Imprensa. Temos um grupo de jovens de grande qualidade e, como digo todos os anos, ter sido selecionado para ir a Cannes já é uma grande vitória!

Mas o Cannes Lions vai muito além da disputa de prémios. O festival oferece uma plataforma única de ‘networking’ e desenvolvimento profissional, por via de seminários, palestras e workshops com os maiores especialistas do mercado e onde os participantes têm a oportunidade de se atualizar sobre as últimas tendências da indústria.

Este ano há algumas novidades, como a introdução dos Leões de Luxo&Estilo de Vida, que distingue os trabalhos criativos mais impactantes na indústria do luxo, e o lançamento do Lions Creators, que funciona como uma experiência de aprendizagem e ‘networking’, direcionada para o ecossistema dos criadores de conteúdos. Destaca-se ainda a 10ª edição do See It Be It, programa de aceleração de talentos para mulheres que pretende contribuir para o equilíbrio de género no setor criativo.

Costumo dizer que o festival é uma fotografia muito fiel dos principais ‘players’ do setor. Já lá vai o tempo em que as agências dos maiores grupos de comunicação (WPP, IPG, Omnicom, Publicis e, mais tarde, Havas e Dentsu) dominavam o evento. Ano após ano, Cannes foi agregando empresas e setores que se foram juntando ao festival, demonstrando a sua crescente influência na indústria. Vieram as tecnológicas Google, Meta, Amazon, Snapchat e TikTok, entre outras, depois as consultoras Accenture, Deloitte, etc, e mais recentemente os principais ‘players’ de streaming, como Netflix e HBO, por exemplo.

Tendo em conta que, hoje em dia, o tema ‘inteligência artificial’ está na ordem do dia, vai ser curioso ver como os principais ‘players’ desta indústria (Open AI/Microsoft, Google/Bard, etc) se apresentam na Croisette.

E tudo isto acontece com o Euro 2024 a decorrer, com os delegados diariamente a seguir e acompanhar os jogos à volta do festival. Um ambiente incrível que já é comum assistir em Cannes, de dois em dois anos, quando há Europeu.

Que seja um grande ano para Portugal! Em prémios no Cannes Lions e na Alemanha no Euro!

Sobre o autorVasco Perestrelo, em Cannes

Vasco Perestrelo, em Cannes

CEO da MOP e representante do festival Cannes Lions em Portugal
Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 Meios & Publicidade. Todos os direitos reservados.