Uzina nega pressões para retirar campanha da Ikea

Por a 2 de Fevereiro de 2024

Em declarações exclusivas ao Meios & Publicidade a propósito da polémica em torno da mais recente campanha publicitária da marca Ikea, António Roquette, CEO da Uzina e presidente da Associação Portuguesa das Agências de Publicidade (APAP), revelou que a agência “não recebeu qualquer contacto de nenhuma entidade com o intuito de retirar a campanha antes da data prevista”, desmentindo assim uma notícia do Nascer do Sol, que alega “interferências de dirigentes socialistas” junto das várias empresas envolvidas para forçar a remoção.

Em declarações ao jornal semanário, os envolvidos recusam qualquer intenção política com o copy dos cartazes que não só parodia o tema da estante referindo que “É boa para guardar livros ou 75.800 €”, como também outros assuntos da atualidade, com claims como “A nossa geringonça contra o frio”, “Para se aquecerem sozinhos ou coligados” ou ainda “Puxamos o tapete à inflação”.

A campanha, que é apenas constituída por quatro múpis espalhados pelo país, faz humor com algumas das situações inusitadas a que os portugueses assistiram recentemente e gerou um buzz pouco antes visto nas redes sociais em Portugal, com dezenas de marcas concorrentes e não concorrentes a parodiar o claim inicial e centenas de utilizadores a partilharem memes.

Deixe aqui o seu comentário