Global Media avança para rescisões amigáveis de 150 a 200 trabalhadores. Subsídio de Natal pago em duodécimos

Por a 6 de Dezembro de 2023

O Global Media Group vai avançar para a rescisão com 150 a 200 trabalhadores. A decisão foi comunicada através de um comunicado interno enviado esta quarta-feira, ao qual o M&P teve acesso, e em que a administração e comissão executiva do grupo revela que vai “avançar com um processo de reestruturação de negociação de acordos de rescisão com caráter de urgência no GMG, num universo entre 150 e 200 trabalhadores nas diversas áreas e marcas, tentando, assim, evitar um processo de despedimento coletivo, alternativa essa que, para esta Comissão Executiva, apenas será opção em último caso”.

A administração acrescenta ainda no comunicado que os subsídios de Natal deste ano só vão ser pagos, em duodécimos, ao longo dos 12 meses de 2024, sendo que os ordenados de novembro apenas foram pagos a 5 de dezembro. Em comunicado, a administração explica que esta situação deve-se “aos constrangimentos financeiros criados pela anulação do negócio da Lusa. No caso dos processos de acordo de rescisão esse valor será obviamente tido em conta”.

No mesmo comunicado, no qual é feito um diagnóstico em nove pontos à situação económica do GMG, a Comissão Executiva reafirma a determinação “em adotar um vasto conjunto de mudanças ao nível da gestão e procedimentos nos diferentes departamentos e marcas, de forma a tornar sustentável este projeto – e também de forma que, persistindo a atual situação, seja evitada a mais do que previsível e anunciada falência do Grupo e que só a contínua e indiscriminada venda de património, como a que ocorreu nos últimos anos, tem vindo a adiar”.

No documento, a comissão executiva termina a reafirmar “os nossos compromissos de investir e fazer crescer. Investir, desde logo, para evitar a falência do GMG e fazê-lo crescer através de uma gestão racional, exigente, bem como de um plano de reestruturação que ponha termo ao ciclo de prejuízos constantes e que, numa fase posterior, permita consolidar um projeto alargado ao mercado da Língua Portuguesa”.

Nos últimos 5 anos, os prejuízos acumulados pelo GMG até ao final do ano passado “foram na ordem dos 39 milhões de euros, sendo que, para este ano, está previsto um prejuízo global que ultrapassa os 7 milhões de euros”, pode ler-se no comunicado. “Acresce a estes valores um conjunto de dívidas acumuladas de 5 milhões de euros, sendo de realçar que o montante que está a ser liquidado em sede de acordo RERT (Regime Excepcional de Regularização Tributária) é de mais de 7 milhões de euros”. A previsão é que, mantendo-se a atual situação sem que se proceda a qualquer tipo de reestruturação, o prejuízo mínimo anual seria na ordem dos 9 milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário