Timor tem novo órgão de comunicação social digital com produção exclusiva em português

Por a 20 de Janeiro de 2023

Timor-Leste tem, a partir desta sexta-feira, um novo órgão de comunicação social online. O Diligente é o primeiro do país com produção exclusiva em português, uma das duas línguas oficiais.

“O Diligente quer ser ponte entre a sociedade e a informação, para formar cidadãos mais conscientes do que se passa ao seu redor. Informação livre e rigorosa, para ajudar na construção de uma consciência mais critica”, explica Eduardo Soares, diretor da publicação, citado pela agência Lusa.

O responsável acrescenta que “acreditamos que poderemos apoiar a transformação da realidade com comunicação construtiva, livre, contribuindo para uma democracia que respeite o direito de todos, as culturas, as religiões, a diversidade étnica, orientação sexual, com vista ao bem comum e à redução das desigualdades“.

Apostando na “informação livre e rigorosa” e em jornalismo de investigação e reportagem, o Diligente pretende, ainda, segundo Eduardo Soares, “dar voz a quem não tem voz” e acompanhar os problemas mais prementes do país. Estamos conscientes de que a realidade social, depois de 20 anos da restauração da independência, ainda está muito aquém do que seria expectável. Timor-Leste ainda não conseguiu assegurar água, luz e esgotos a toda a população, há dificuldade no acesso a saúde e educação e a democracia privilegia alguns grupos em detrimento de outros. A educação sexual é tabu, as mulheres não são tratadas da mesma forma que os homens e a violação dos direitos humanos em nome de uma suposta cultura é o pão nosso de cada dia”.

Eduardo Soares disse que apesar de Timor-Leste estar em primeiro lugar no ranking de liberdade de imprensa na região – e em 17º a nível global – a atividade jornalística em Timor-Leste “ainda enfrenta muitos problemas, incluindo a burocracia para obtenção de dados, autocensura e a desvalorização de trabalhos jornalísticos“.

O projeto reúne sete jovens jornalistas timorenses que completaram a sua formação no Consultório de Jornalistas, um projeto apoiado pelo Instituto Camões de fortalecimento das capacidades em língua portuguesa no setor dos media. No arranque da publicação, o Diligente inclui reportagens sobre os entraves à liberdade de imprensa no país e sobre abusos sexuais de crianças, entre outras.

Deixe aqui o seu comentário