Publicidade será uma realidade no Netflix. Plataforma perde subscritores pela primeira vez em 10 anos

Por a 20 de Abril de 2022

O lançamento de opções de patamares de subscrição com custos mais baixos e suportados por publicidade está a ser preparado pelo Netflix, confirmou Reed Hastings. O anúncio chega numa altura em que o serviço de streaming apresenta pela primeira vez em mais de uma década, de acordo com os resultados trimestrais comunicados aos investidores, um recuo no número de subscritores, tendo perdido cerca de 200 mil assinantes nos primeiros três meses de 2022. É a primeira vez desde 2011 que a plataforma, que conta agora com 221,6 milhões de subscritores a nível global, regista uma redução, naquela que será uma tendência que se prevê continuar nos próximos meses já que a empresa estima, no decorrer do segundo trimestre, perdas na ordem dos dois milhões de subscritores.

“O grande impulso no streaming dado pela pandemia ofuscou o retrato da situação até há pouco tempo”, justifica o Netflix, apontando como alguns dos principais motivos por trás da redução a partilha de contas e a multiplicação do número de plataformas concorrentes. Para os números agora apresentados terá igualmente contribuído a retirada do mercado russo, onde a plataforma teria cerca de 700 mil subscritores. Fatores que, no seu conjunto, fizeram com que os resultados agora apresentados tenham ficado muito aquém das previsões iniciais da empresa, que apontavam para a conquista de 2,5 milhões de assinantes no primeiro trimestre, o que fez com que os números agora revelados tenham provocado uma reação imediata no mercado, com as ações do Netflix a caírem na ordem dos 30%.

É neste contexto que surge pela primeira vez a confirmação oficial de que os planos para criar opções de subscrição mais baratas e introduzir publicidade na plataforma vão mesmo avançar, algo que deverá acontecer, segundo Greg Peter, COO do Netflix, nos próximos 12 a 24 meses. “Aqueles que seguem o Netflix sabem que sempre fui contra a complexidade das soluções assentes em publicidade e um grande adepto da simplicidade da subscrição”, afirmou Reed Hastings, CEO do serviço de streaming, admitindo que “por mais adepto que seja, sou um maior adepto da escolha do consumidor”. “Permitir aos clientes que gostariam de ter um menor custo, e que são tolerantes à publicidade, obter aquilo que querem, faz muito sentido”, referiu, lembrando que este é um caminho que já foi seguido por plataformas concorrentes como Hulu, Disney ou HBO.

Deixe aqui o seu comentário