Esta quinzena no M&P: O que valorizam os marketeers portugueses nas agências, WYperformance, FilmTwist e Especial Combustíveis

Por a 21 de Abril de 2022

Os profissionais mais admirados, as agências mais valorizadas e os critérios decisivos na hora de escolher com quem trabalhar apontados por 233 marketeers portugueses. O estudo Agency Scope, da consultora Scopen, aponta as tendências que marcam o mercado português e está em destaque na edição quinzenal do M&P, que conta ainda com entrevistas a Ana Fernandes, executive director da WYperformance, e Diogo Bivar, impulsionador da mais recente plataforma de streaming nacional, a FilmTwist. Os artigos de opinião são assinados por António Cunha Vaz (CV&A) e João Paulo Luz (Impresa). Saiba o que pode ler esta quinzena.

Entrevista: “A nossa concorrência está cada vez mais nas grandes consultoras”

Com uma equipa de quase 70 pessoas, a Performance Sales passou a apresentar-se ao mercado como WYperformance. Como explica a executive director Ana Fernandes, não se trata de uma simples mudança de nome

O que os marketeers dizem sobre as agências e o mercado

Filipa Appleton, O Escritório e Havas Media estão em destaque no mais recente Agency Scope da consultora Scopen, que entrevistou 223 marketeers sobre as agências, profissionais e tendências que marcam o mercado português

Entrevista: “A expetativa é atingir os 3.500 subscritores no final do primeiro ano”

Acaba de chegar ao mercado mais uma plataforma de streaming. A FilmTwist apresenta-se com um catálogo dedicado ao cinema de terror, ficção científica e fantasia. À frente do projeto está Diogo Bivar, que explica como surgiu o novo serviço e quais os objetivos

A nova vida de Luís Garcez

Luís Garcez, que passou a dirigir a área de comunicação corporativa e financeira da consultora de comunicação LLYC, explica o que aprendeu por trabalhar do lado do cliente, das agências de publicidade e, mais recentemente, das consultoras de comunicação

Especial Combustíveis: Outra frente de batalha

As gasolineiras estão a implementar várias mecânicas promocionais, ao mesmo tempo que tentam não ser contaminadas pelas notícias negativas associadas ao aumento de preços dos combustíveis. Em simultâneo, distanciam-se do petróleo russo, desenvolvendo várias iniciativas de apoio às vítimas da guerra na Ucrânia

Análise: Retoma das receitas publicitárias alavancou recuperação dos grupos de media

Após um ano de 2020 muito marcado pelo impacto da pandemia nas contas da Cofina, Impresa e Media Capital, os três grupos de media portugueses cotados em bolsa geraram, no seu conjunto, mais 36,6 milhões de euros no último ano, um crescimento na ordem dos 9,5%. Em receitas publicitárias, os três grupos de media encaixaram aproximadamente mais 30 milhões de euros em 2021. No seu conjunto, atingiram 260 milhões de euros em receitas de publicidade, valor que supera já o de 2019, último ano pré-pandemia. No entanto, com exceção da Impresa, os números agora alcançados ainda ficam aquém do volume de negócios gerado antes da covid-19

Um dia na vida de…

Francisco Teixeira, partner e CEO da Hill+Knowlton Strategies

Os culpados e os media

Opinião de António Cunha Vaz, presidente da CV&A

Who wants to change the world?

Opinião de João Paulo Luz, diretor de negócios digitais e publishing da Impresa

A versão completa desta edição em formato e-paper e em papel é exclusiva para subscritores do M&P. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do M&P obtendo aqui o acesso imediato. Para mais informações contacte: Graça Dias – 215 825 426 – [email protected]

Deixe aqui o seu comentário