Consumo de conteúdos em serviços de streaming já chega a quase metade dos portugueses

Por a 16 de Março de 2022

São já cerca de 2,7 milhões os subscritores de pelo menos um serviço de streaming em Portugal, o que significa que perto de um terço dos portugueses (32,3%) é assinante deste tipo de plataformas. No entanto, se contabilizados todos os portugueses que acedem a serviços de streaming, ainda que não sejam os subscritores da conta, o número de utilizadores em Portugal chega aos 44,9%. De acordo com os dados mais recentes do estudo Bstream da Marktest, relativos ao último quadrimestre de 2021, a tendência de crescimento no consumo de conteúdos através destes serviços deverá manter-se no médio prazo, com 9,4% dos inquiridos a manifestarem a intenção de subscrever uma plataforma de streaming nos próximos três meses.

Entre as plataformas disponíveis no mercado português em dezembro do último ano, o Netflix continua a posicionar-se como o serviço de streaming com maior implantação, acumulando a liderança tanto em número de subscritores como na utilização da plataforma e ao nível da notoriedade entre os utilizadores portugueses. Foi igualmente, segundo o estudo da Marktest, o serviço de streaming que apresentou o maior crescimento no número de subscrições em Portugal, subindo 6,1 pontos percentuais na comparação com a vaga anterior do estudo, de setembro. Seguem-se o Disney+ (+1,2 p.p.) e NOS Play (+0,6 p.p.), que cresceram no último quadrimestre do ano, respetivamente, 1,2 pontos percentuais e 0,6 pontos percentuais. Netflix, Disney+, HBO, Prime Video e NOS Play são as cinco plataformas com maior número de subscritores em Portugal.

Quem utiliza serviços de streaming em Portugal?

É entre os 15 e os 24 anos que se encontra o maior número de utilizadores de plataformas de streaming em Portugal, abrangendo 78,9% dos indivíduos. Esta faixa etária, no entanto, corresponde a apenas 21,5% do total de subscritores. Em sentido contrário, a faixa etária com menos utilização deste tipo de serviços é a dos maiores de 65 anos, com 6,5%, sendo que 70,6% dos indivíduos que utilizam serviços de streaming têm menos de 45 anos. Na segmentação por classes sociais, as maiores taxas de utilização correspondem à classe A-B, com 70,4%. Números que refletem também a tipologia de lares que subscrevem serviços de streaming: 30,8% dos lares de Portugal continental subscrevem pelo menos uma plataforma, com os lares das classes A-B a corresponderem a 53,2% deste universo.

Deixe aqui o seu comentário