LLYC fecha parceria com sociedade de advogados para trabalhar gestão de danos reputacionais provocados por ciberataques

Por a 20 de Janeiro de 2022

Tiago Vidal, sócio e director-geral da LLYC

“Um ciberataque pode resultar em perdas financeiras e de informação digital, podendo até impossibilitar uma empresa de continuar a operar, causando elevados danos reputacionais”, comenta Tiago Vidal a propósito de uma parceria estabelecida entre a LLYC e a sociedade de advogados Antas da Cunha ECIJA, especializada em direito digital. O objetivo da parceria passa por disponibilizar um conjunto de serviços focados em “ajudar empresas e organizações a prevenir os ciber riscos, que têm crescido exponencialmente durante a pandemia e provocado danos operacionais e de reputação em empresas e organizações”, explica-se em comunicado.

Através dos serviços conjuntos da consultora de comunicação e da sociedade de advogados, pretende-se então “apoiar entidades públicas e privadas a minimizar riscos de compliance e reputação, assegurando um nível elevado de maturidade em cibersegurança”, explica-se em comunicado, sendo os serviços dirigidos “particularmente a entidades às quais se aplica a legislação vigente em Portugal em matéria de cibersegurança, nomeadamente à administração pública, aos operadores de serviços essenciais como energia, transporte, saúde e bancário, aos operadores de infraestruturas críticas como hospitais e serviços de segurança e aos prestadores de serviços digitais prestados à distância por via eletrónica”.

“A preparação e capacidade de execução da comunicação das empresas e organizações com os diferentes stakeholders é fundamental para proteger a sua reputação num cenário de crise de cibersegurança”, defende o sócio e diretor-geral da LLYC em Portugal. É nesse sentido que, aponta Tiago Vidal, “esta parceria propõe mitigar os riscos destas ameaças através de uma abordagem integrada entre a visão estratégica da LLYC na gestão da reputação e comunicação e a experiência de referência no direito digital da sociedade de advogados internacional Antas da Cunha ECIJA”.

Deixe aqui o seu comentário