Impresa reconhece que “demorará algum tempo para que a normalidade seja reposta”

Por a 5 de Janeiro de 2022

O Expresso e a SIC Notícias colocaram online, esta terça-feira à noite, uma versão provisória dos seus sites, na sequência de um ataque informático no passado domingo  que suspendeu outros sites do grupo, como o Opto, Blitz ou Advance.

Em comunicado dirigido os leitores, a Impresa fez saber esta quarta-feira à noite que “reconhece que demorará algum tempo para que a normalidade de todas as operações seja reposta” Já sobre dados pessoais e bancários dos subscritores do Expresso e da Opto, a Impresa assegura que, até ao momento, não existem “evidências de que os atacantes tiveram acesso às suas passwords”. De qualquer forma, o grupo relembra que é boa prática alterar palavra-chave regularmente e não utilizar a mesma em serviços diferentes. A Impresa também acrescenta de que, até ao momento, não existem indicadores de que os atacantes tenham tido acesso aos dados dos cartões de crédito utilizados para pagar assinaturas do Expresso ou subscrições do Opto.

Expresso e SIC Notícias com sites provisórios

“Não sendo este o nosso site, não sendo ainda as circunstâncias ideais para cumprirmos a nossa missão, vamos dar tudo o que temos para não vos deixar mal nestes dias importantes da nossa história”, refere uma nota da direcção do Expresso, publicada na nova versão do site do jornal. “Estamos, de forma permanente e incessante, a colaborar com as autoridades e a desenvolver as acções necessárias no sentido de resolver a situação tão rápido quanto possível”, refere a mesma nota da direcção, onde os responsáveis pelo jornal agradecem “a todos os outros órgãos de comunicação social que nos têm apoiado e aos anunciantes e parceiros que se mantêm ao nosso lado”.

“Até recuperarmos totalmente a situação, este site provisório permite-nos voltar a disponibilizar alguns dos nossos conteúdos. Agradecemos aos nossos leitores e espectadores a compreensão. Estamos a trabalhar para recuperar os restantes conteúdos”, pode ler-se na nota da direcção de informação da SIC Notícias, publicada no site provisório do canal.

Queixas no DIAP e na CNPD

A Impresa  fez, entretanto, um ponto de situação junto dos investidores. Em comunicado enviado à CMVM, esta quarta-feira à tarde, o grupo dirigido por Francisco Pedro Balsemão informa que, quando o ataque aos sites foi conhecido, desencadeou, “em conjunto com uma equipa de especialistas, uma operação de avaliação do impacto potencial desse ataque ilegítimo e desencadeou acções preliminares de protecção e contenção e está a tomar as medidas necessárias para repor, o quanto antes, o normal e regular acesso aos conteúdos noticiosos do grupo”. Enquanto a normalidade não é reposta, os meios do grupo estão a “trabalhar através de sites que funcionam de forma provisória, bem como das suas redes sociais”, refere o mesmo comunicado.

O grupo confirmou ainda que apresentou uma queixa-crime no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, contra incertos, pela prática de crimes de terrorismo, dano relativo a programas ou outros dados informáticos, sabotagem informática, acesso ilegítimo, acesso indevido, desvio de dados e destruição de dados. O ataque foi também notificado à Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD).

Notícia actualizada às 20h39

Deixe aqui o seu comentário