Bareme Rádio: Comercial supera fasquia dos 20% e fecha o ano com liderança reforçada

Por a 23 de Dezembro de 2021

Os números da rádio em Portugal continuam a atingir novos máximos. Após uma vaga do Bareme em que as duas estações mais ouvidas registaram audiências recorde, a última vaga de 2021 vem confirmar o momento histórico vivido pelo sector, com a Comercial a tornar-se a primeira estação a superar a fasquia dos 20%. Com uma Audiência Acumulada de Véspera (AAV) de 20,1%, a estação regista pelo segundo mês consecutivo o valor mais elevado de sempre na rádio nacional, crescendo mais sete décimas face aos 19,4% registados na vaga anterior e que haviam estabelecido um novo máximo até então.

Apesar de se registar uma descida do consumo de rádio entre vagas, com a audiência acumulada a recuar dos históricos 61,2% da vaga anterior para os 60,4%, as duas estações mais ouvidas continuam a reforçar quota já que também a RFM volta a alcançar o seu melhor resultado. Após ter atingido pela primeira vez a fasquia dos 19% na última vaga, a estação do grupo Renascença Multimédia avança agora até aos 19,6%.

Os resultados desta última vaga do Bareme Rádio colocam novamente nas mãos da Comercial o estatuto de estação mais ouvida em Portugal, encerrando o ano de 2021 com liderança reforçada ao alargar ligeiramente a vantagem sobre a RFM, que na vaga anterior era de quatro décimas e se fixa agora nas cinco. Os valores alcançados nesta quinta vaga garantem igualmente às duas estações no topo das preferências dos ouvintes um crescimento significativo na comparação com a vaga homóloga em 2020, altura em que o sector da rádio começava a recuperar do impacto provocado pelos períodos de confinamento e sucessivas limitações à circulação impostas pela situação pandémica. Analisando a evolução relativamente quinta vaga de 2020, os dados mais recentes do Bareme Rádio traduzem crescimentos de 2,1 pontos percentuais no caso da Comercial e de 3,2 pontos percentuais no caso da RFM já que, no período homólogo, a AAV das duas estações se situava, respectivamente, nos 19% e 16,4%.

Em sentido contrário, a M80, que mantém o estatuto de terceira estação mais ouvida do país, recua uma décima face à vaga anterior, registando agora uma AAV de 7,6%. Valor que representa também uma quebra (-0,6 p.p.) na comparação com os resultados alcançados na vaga homóloga em 2020, altura em que a estação do grupo MCR registava o seu melhor resultado de sempre: 8,2%. Apesar desta evolução negativa, a M80 consegue reforçar a sua posição e alargar a vantagem para a Renascença, que na vaga anterior estava em 1,1 pontos percentuais, para 1,5 pontos percentuais. Isto porque a estação da Renascença Multimédia sofre também uma quebra para os 6,1% de AAV, valor que traduz um recuo de cinco décimas, quer entre vagas quer relativamente à vaga homóloga em 2020, momentos em que a audiência da estação se situava nos 6,6%.

O último lugar do top 5 das rádios mais ouvidas no país volta a ser ocupado pela Cidade FM, estação que conquistou na última vaga a posição que até então vinha sendo ocupada pela Antena 1. No entanto, depois de ter atingido os 5,2%, a estação da MCR recua agora para os 4,8%. Valor que, ainda assim, não só garante a presença entre as cinco estações mais ouvidas mas representa igualmente um crescimento significativo (+1,2 p.p.) relativamente à audiência registada na vaga homóloga em 2020, altura em que a Cidade FM se encontrava na sexta posição com uma AAV de 3,6%

A Antena 1 volta assim a ficar pela sexta posição, apesar de ver a sua AAV crescer dos 3,8% da vaga anterior para os 4,1% nesta última vaga do ano. Na comparação com a vaga homóloga, quando ainda integrava o lote das cinco estações mais ouvidas com uma AAV de 4,6%, este valor representa uma quebra de cinco décimas. A Mega Hits, que mantém os mesmos 3,5% da vaga anterior, segue na sétima posição, uma evolução positiva (+0,4 p.p.) na comparação com o encerramento de 2020, quando estava na oitava posição com uma AAV de 3,1%. Já a TSF, que há um ano se encontrava à frente da Mega Hits, surge agora na oitava posição com 3,2%, valor que representa um recuo de uma décima, quer relativamente à vaga anterior quer na comparação homóloga.

A Antena 3, que permanece no nono lugar, sobe duas décimas entre as duas últimas vagas, passando de 1,6% para 1,8%, a mesma subida quando se analisam os números registados no mesmo período de 2020. O top 10 volta a ser encerrado pela Smooth FM, que, no entanto, recua três décimas face à última vaga e apresenta agora uma AAV de 1%, o mesmo valor que registava há um ano.

Analisando os resultados de audiência por grupo de media, a liderança permanece igualmente nas mãos da Media Capital Rádios, alargando para os três pontos percentuais a vantagem para o grupo Renascença Multimédia, que na última vaga era de 2,9 pontos percentuais. O braço radiofónico da Media Capital alcança nesta última vaga do Bareme Rádio em 2021 uma AAV de 3,1%, uma ligeira subida em relação aos 3% da vaga anterior e um incremento de três pontos percentuais na comparação com os 27,1 registados na vaga homóloga em 2020. Este é precisamente o mesmo valor com que o grupo Renascença Multimédia chega ao fim de 2021, repetindo os mesmos 27,1% registados na vaga anterior. Já na comparação com a vaga de encerramento de 2020, a evolução é positiva já que os números agora alcançados traduzem um crescimento de dois pontos percentuais face à AAV de 25,1% registada no final do último ano. Com 6%, a RTP sobe cinco décimas relativamente à vaga anterior, quando se situava nos 5,5%. Contudo, este valor representa um recuo de oito décimas na comparação com a vaga homóloga, altura em que a rádio pública alcançava uma AAV de 6,8%.

A divulgação dos dados do Bareme Rádio passou a incluir também, a partir da primeira vaga de 2021, um conjunto de estações que não integram o top 10 das rádios mais ouvidas em Portugal. No 11º lugar surgem, empatadas com uma AAV de 0,6% a Rádio Observador (-0,2 p.p. face à vaga anterior), e a R.NOAR (-0,1 p.p.), que troca de posição com a Rádio Nova Era. Após ter dividido posição com a Rádio Observador, a Nova Era surge agora na posição seguinte com 0,5% (-0,3 p.p), empatada agora com a Rádio Meo Sudoeste, que mantém o valor da vaga anterior. Além destas, só mais uma estação apresenta dados de Audiência Acumulada de Véspera (AAV). A Estação Orbital, que fecha o ano com uma AAV de 0,4% nesta derradeira vaga do Bareme Rádio em 2021.

Deixe aqui o seu comentário