Mercado de brinquedos com quebra de 19% no primeiro semestre do ano

Por a 13 de Outubro de 2021

O mercado de brinquedos em Portugal apresentou uma quebra de 9,4 milhões de euros no primeiro semestre de 2021, registando-se uma variação negativa (-19%) em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados da GfK. A empresa de estudos de mercado adianta que a “queda acentuada da venda de brinquedos na época da Páscoa em muito contribuiu para este resultado, já que a grande distribuição não estava permitida a vendê-los, devido ao contexto pandémico”.

A tendência negativa verificou-se em todas as categorias de brinquedos, à excepção dos Electrónicos, com Bonecas, Jogos & Puzzles e Figuras de Acção a apresentarem as maiores quedas (-33%, -26% e -23% respectivamente). Construções, ainda que negativa, foi a categoria com uma queda menos significativa.

Nota-se, assim, que a categoria Bonecas perde relevância no mercado nacional e deixa de ser a mais importante, caindo de 19% para 15,8%. Construções passa a ser a categoria com maior peso, com 17,1% (versus 14,5% no primeiro semestre de 2020). Destaque, também, para o aumento de quota da categoria de Desporto & Ar Livre e da queda de quota de Jogos & Puzzles.

O mercado licenciado continua a perder relevância e caiu 24%, representando 21% do mercado no primeiro semestre deste ano (face a 23% no período homólogo). Esta tendência negativa mantém-se desde 2016, em que o mercado licenciado representava 27%.

Deixe aqui o seu comentário