Bareme Rádio: Estações mais ouvidas atingem audiências históricas no rescaldo da pandemia

Por a 14 de Outubro de 2021

Com uma Audiência Acumulada de Véspera (AAV) na ordem dos 19,4%, o valor mais elevado de sempre na rádio nacional, a Comercial mantém o título de estação mais ouvida do país. Numa vaga do Bareme Rádio que fica marcada por um consumo de rádio sem precedentes, atingindo os 61,2% de audiência acumulada, também a RFM alcança o seu melhor resultado ao atingir pela primeira vez a fasquia dos 19%. “Estes valores são um claro sinal da vitalidade do meio rádio”, salienta Salvador Bourbon Ribeiro, analisando a performance do mercado de rádio português nesta fase de rescaldo da pandemia, após um período em que as audiências das principais estações se ressentiram. “Estes números de audiências revelados hoje só vêm, mais uma vez, confirmar que a rádio está viva e recomenda-se”, afirma o CEO da Media Capital Rádios (MCR), grupo que detém a estação que lidera o ranking da Marktest desde o início de 2018.

Com estes resultados, a Comercial reforça a liderança ao alargar para quatro décimas a vantagem sobre a RFM, que na vaga anterior era de três décimas. De acordo com os dados do estudo da Marktest, os 19,4% de AAV representam um crescimento 1,3 pontos percentuais face aos 18,1% que valiam a liderança à estação da MCR na vaga anterior. Com 19%, a RFM cresce nesta quarta vaga do Bareme Rádio 1,2 pontos percentuais relativamente aos 17,8% que a estação do grupo Renascença Multimédia registava na última vaga. Valores que garantem igualmente às duas estações no topo das preferências dos ouvintes um crescimento significativo na comparação com a vaga homóloga em 2020, altura em que o sector da rádio foi severamente afectado pelos períodos de confinamento e sucessivas limitações à circulação impostas pela situação pandémica. Analisando a evolução relativamente quarta vaga de 2020, os dados mais recentes do Bareme Rádio traduzem crescimentos de 2 pontos percentuais no caso da Comercial e de 3,6 pontos percentuais no caso da RFM já que, no período homólogo, a AAV das duas estações se situava, respectivamente, nos 17,4% e 15,4%.

A terceira estação mais ouvida do país, estatuto que continua a pertencer à M80, cresce duas décimas entre esta vaga e a última, registando agora uma AAV de 7,7%. Valor que traduz também uma melhoria face aos resultados alcançados na vaga homóloga em 2020, altura em que a estação do grupo MCR se situava nos 7,3%. A distância que separa as estações que ocupam a terceira e quarta posições no estudo da Marktest é assim ampliada para 1,1 pontos percentuais já que a Renascença sobe apenas uma décima face à vaga anterior, fixando-se nos 6,6%, duas décimas acima do resultado alcançado na quarta vaga de 2020. O top 5 das rádios mais ouvidas no país fica agora completo com a Cidade FM, estação que toma a posição que tem vindo a ser ocupada pela Antena 1 ao ver a sua audiência crescer 1,3 pontos percentuais, passando de uma AAV de 3,9% na vaga anterior para 5,2% nesta quarta vaga do Bareme Rádio em 2021. Um resultado que representa igualmente um crescimento significativo face à vaga homóloga, altura em que a estação do grupo MCR estava empatada com a TSF na sexta posição com uma AAV de 3%.

A Antena 1 deixa assim o lote das cinco estações mais ouvidas, ocupando a sexta-posição com uma AAV de 3,8%, um recuo de meio ponto percentual quer relativamente ao resultado alcançado na vaga anterior quer na vaga homóloga, ambos fixados nos 4,3%. Após dividir o sétimo lugar na vaga anterior com a TSF, a Mega Hits isola-se agora nessa posição ao subir dos 3,3% para os 3,5%, valor que traduz um incremento de oito décimas comparativamente à vaga homóloga em 2020, quando a estação do grupo Renascença Multimédia se situava nos 2,7% de AAV. Já a estação do Global Media Group, que ocupava a oitava posição, mantém os mesmos 3,3% da última vaga, ainda assim uma melhoria de três décimas na comparação com o resultado registado em igual período de 2020.

A Antena 3, que permanece no nono lugar, sobe três décimas entre as duas últimas vagas, passando de 1,3% para 1,6%, o que representa uma subida de duas décimas comparativamente aos 1,4% registados na vaga homóloga. O top 10 é agora encerrado pela Smooth FM, que sobe três décimas face à última vaga e apresenta agora uma AAV de 1,3%, valor que representa também uma subida de seis décimas na comparação com a vaga homóloga, quando registava apenas 0,7% de AAV.

Na análise aos resultados de audiência por grupos, a Media Capital Rádios mantém igualmente a liderança, aumentando a vantagem para o grupo Renascença Multimédia, que na última vaga era de 2,3 pontos percentuais, para 2,9 pontos percentuais. O braço radiofónico da Media Capital alcança nesta quarta vaga do Bareme Rádio uma AAV de 30%, uma subida de 2,1 pontos percentuais décimas face à vaga anterior e de 4,5 pontos percentuais na comparação com a vaga homóloga. Já o grupo Renascença Multimédia, que na última vaga se situava nos 25,6% de AAV, sobe para os 27,1%. Na comparação com a quarta vaga de 2020, quando registava uma AAV de 24%, o grupo regista um crescimento de 3,1 pontos percentuais. Com 5,5%, a RTP recua quatro décimas relativamente à vaga anterior, quando se situava nos 5,9%, e meio ponto percentual na comparação com a vaga homóloga, altura em que a rádio pública se situava na fasquia dos 6%.

A divulgação dos dados do Bareme Rádio passou a incluir também, a partir da primeira vaga de 2021, um conjunto de estações que não integram o top 10 das rádios mais ouvidas em Portugal. No 11º lugar surgem, empatadas com uma AAV de 0,8%, a Rádio Nova Era e a Rádio Observador. Além destas duas, só mais três estações apresentam dados de Audiência Acumulada de Véspera (AAV). A R.NOAR com 0,7%, enquanto a Estação Orbital e a Rádio Meo Sudoeste dividem as posições seguintes com uma AAV de 0,5% nesta quarta vaga do Bareme Rádio em 2021.

Deixe aqui o seu comentário