Nuno Azinheira lança Escolher Viver

Por a 17 de Setembro de 2021

Nuno Azinheira vai lançar na segunda-feira um site sobre vida saudável. Escolher Viver, a primeira hashtag que utiliza nos post que escreve sobre a sua própria caminhada no sentido de perder peso, é o nome do projecto, que descreve como “um site de conteúdos informativos e pedagógicos e mais: é um ponto de encontro de todos os que se interessam por uma vida saudável”.

Saúde, exercício físico, alimentação são os três pilares do site, que que conta com a colaboração, descreve Nuno Azinheira, de um conjunto médicos, nutricionistas, enfermeiros, psicólogos, personal trainers, especialistas em saúde e homens e mulheres que se preocupam com a sua saúde e bem-estar. “O que vamos ter são conteúdos credíveis, rigorosos, mas apresentados de uma forma atraente”, garante.

“Eu tenho 47 anos e sou obeso desde criança. Sou diabético desde os 42. E sei que tudo o que for capaz de fazer agora pela minha saúde vai ajudar-me mais tarde. Portanto, perder peso é absolutamente vital. Durante anos, como qualquer outro gordo, fui fazendo dietas várias, fui perdendo quilos agora para recuperar daqui a uns meses. É a história da vida de qualquer obeso. No último ano, assumi esse objetivo como o maior desafio da minha vida. Estou a reeducar-me alimentarmente, estou a fazer exercício físico três vezes por semana, sou acompanhado por nutricionistas e o meu personal trainer, caminho sete a oito quilómetros quase todos os dias, faço tratamentos modeladores. O resultado é bem visível: desde o início do ano já perdi 17 quilos e 25 cm na cintura, baixei números na minha roupa”, enquadra, sobre as motivações que o levaram a lançar este projecto, que é também uma forma de manter o foco. “Eu sei que nestes processos, mesmo com resultados positivos e muito visíveis, é preciso acautelar excessos de euforia, desânimos, cansaços. Preciso de me manter focado. Por outro lado, eu sou alguém que preciso da validação dos outros. Preciso do compromisso público, da partilha desta caminhada com as pessoas que gostam de mim. Por um lado, é uma forma de eu me manter focado. E, sendo um projeto para me ajudar na minha caminhada, acredito que também vai ajudar outras pessoas”, diz.

Numa primeira fase o projecto arranca sem marcas associadas. “Tem uma razão de ser, é evidente que eu sou um profissional, mas o sinal que eu quero deixar com o lançamento deste projeto é que não é o negócio que me norteia, é a possibilidade de, ajudando-me a mim, ajudar os outros”, diz.

No entanto, “é evidente que não vou fechar as portas a patrocínios, marcas e outro tipo de apoios. Seria estúpido se o fizesse. E seria hipócrita se lhe dissesse que essa parte não é importante. Será, naturalmente. A chegada de marcas, patrocínios e apoios é bem-vinda e permitirá ao projeto crescer, chegar a mais gente e ser mais útil. Quando isso acontecer, e para isso acontecer, terei de contratar mais jornalistas, porque quando, e se isso acontecer, não chegarei para todas as encomendas, porque tenho uma vida profissional altamente exigente. Mas este projeto não é de todo comercial”, frisa.

Deixe aqui o seu comentário