DGS impõe lugares marcados e distanciamento de 1,2 metros em espectáculos ao ar livre

Por a 6 de Agosto de 2021

Os espectáculos ao ar livre, incluindo os gratuitos, devem ter bilhetes de ingresso, entradas controladas e o público deve ser distribuído por lugares marcados, de acordo com a orientação actualizada pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

“Nesta fase não são permitidos espectáculos com público não distribuído por lugares marcados”, insistindo que os lugares no recinto do espectáculo ao ar livre devem estar previamente identificados (cadeiras ou marcação no chão), “dando preferência a lugares sentados”, refere a DGS. É também necessário cumprir a distância de 1,2 metros entre espectadores não co-habitantes.

O período de entradas e saídas do público deve ser alargado, para que a entrada dos espectadores possa ser desfasada, cumprindo, no acesso, as regras de distanciamento físico mínimo de 1,5 metros entre pessoas não co-habitantes.

Nos espectáculos com palco, não devem ser ocupadas as duas primeiras filas junto ao palco ou, em alternativa, deve ser garantida a distância de, pelo menos, dois metros entre o palco e a primeira fila de espectadores a ocupar.

A orientação define igualmente que eventos com público realizados fora de espaços ou estabelecimentos fixos de natureza artística, “devem ser precedidos de avaliação de risco pela autoridade de saúde territorialmente competente”, em articulação com o organizador do evento, ouvindo as forças de segurança locais, para determinar se há viabilidade e condições de realização.

Os equipamentos culturais podem funcionar com uma lotação de até 66 por cento, sendo necessário apresentar certificado digital ou teste negativo em salas de espectáculo ou em espectáculos em recintos em ambiente fechado ou aberto sempre que o número espectadores seja superior a mil, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado.

Novas regras para espectáculos e eventos corporativos

Deixe aqui o seu comentário