Please: A noMenu pediu e a Born entregou a nova marca da plataforma de food delivery

Por a 12 de Julho de 2021

“Este rebranding, desenvolvido pela agência Born, marca um novo ciclo”, apontam Lorenzo Herrero e Jorge Ferreira, fundadores do noMenu, plataforma de food delivery que agora passa a apresentar-se sob a marca Please. “A empresa transformou-se, mas a essência e seu o património mantiveram-se. Não se trata de apagar o passado, temos muito orgulho no caminho que fizemos e no projecto que construímos”, começam por enquadrar os responsáveis. O objectivo passa agora por “estar ainda mais próximos dos nossos clientes e honrar a confiança que estes depositam no nosso serviço”, explica Lorenzo Herrero, sublinhando a aposta numa “linguagem disruptiva, impactante que demonstra que somos apaixonados pela gastronomia.

A nova identidade da plataforma lançada em 1998 pretende reforçar “a paixão da comida como valor central da empresa”, ao mesmo tempo que adapta a imagem a um “mundo cada vez mais tecnológico e digital”. A aplicação, além do rebranding, apresenta novas funcionalidades no serviço, como o desenvolvimento de um serviço de tracking que permitirá o acompanhamento da encomenda, e uma app renovada para ser “mais intuitiva” e com “um website mais user-friendly”. O propósito, assegura a empresa, continua a ser o mesmo: “Manter o serviço de excelência num mundo pós-pandemia, onde este tipo de serviço se tornou imprescindível, quer para os restaurantes quer para os seus clientes.”

“Fomos os pioneiros neste tipo de serviço e colocamos os padrões de qualidade num patamar bastante elevado, temos muitos anos de experiência na área e de contacto com quem recorre aos nossos serviços”, destacam dos dois sócios, para quem um dos motivos que justificam a receptividade da plataforma junto do público é o facto de tratar de “uma empresa que é de Portugal e que trabalha para Portugal”. “Queremos servir sempre com máxima qualidade, desde o pedido até à entrega, os clientes que sempre nos apoiaram mas também os novos que ainda não conhecem os nossos serviços”, afirma Lorenzo Herrero.

Deixe aqui o seu comentário