Vasp vai reunir-se com governo e lembra que boicotes afectam “toda a cadeia de valor”

Por a 18 de Junho de 2021

A Vasp vai reunir-se com o governo no dia 28 de Junho para encontrar uma solução, na sequência da taxa extra anunciada pela distribuidora de jornais e revistas, disse o presidente da empresa, Paulo Proença, à Lusa.

Estarão presentes na reunião o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, o secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, e a secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira.

Recorde-se que a Associação Nacional de Vendedores de Imprensa (ANVI) tem previsto um boicote à venda de jornais e revistas para 18 e 19 de Junho, esta sexta-feira e sábado.

O boicote “não é a melhor forma de expressarem esse desagrado porque vai ainda penalizar mais não só a distribuidora como os editores, as gráficas, toda a cadeia de valor”, afirmou Paulo Proença, à Lusa. “Os protestos estão a ser dirigidos contra a entidade errada, consideramos que há muita falta de informação sobre a real situação que a distribuição e todo o sector atravessam, acho que teria sido mais produtivo a associação ter tentado juntamente com a Vasp junto do governo tentar obter apoios”, salientou.

“Quando temos quebras de vendas superiores a 20 por cento, aliás na casa quase dos 24 por cento nos últimos 12 meses e quando os custos são maioritariamente fixos, com tendência aumentar, com aumentos dos salários mínimos ou aumentos dos combustíveis”, entre outros, “a situação é altamente deficitária”, prosseguiu o gestor, em declarações à Lusa.

A partir de 4 de Julho, está prevista a aplicação de uma taxa diária, por parte da Vasp, de entrega no valor de 1,50 euros de segunda a sábado e de um euro aos domingos, a que acresce o IVA, como forma de comparticipação dos custos de transporte, entrega e recolha das publicações.

Quiosques avançam com greve à venda de jornais e revistas e preparam providência cautelar contra Vasp

Deixe aqui o seu comentário