TVI exige em tribunal 1,2 milhões de euros ao chef Ljubomir Stanisic

Por a 8 de Junho de 2021

1.216.785,94 euros. É este o valor da indemnização pedida pela TVI pela eventual incumprimento do contrato por parte do chef Ljubomir Stanisic. A acção deu entrada no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa esta segunda-feira, um dia após o fim do programa Hell’s Kitchen, que decorreu este domingo à noite e que se revelou uma aposta ganha por parte da SIC. Contactada pelo M&P, fonte oficial da TVI adiantou que a estação não está disponível “para fazer qualquer comentário ou esclarecimento sobre este assunto”.

A acção cível tem como réus Ljubomir Stanisic e a empresa Questão de Palavras, Lda, detida pelo chef e pela esposa Mónica Franco. O M&P sabe que a TVI arrolou como testemunhas Nuno Santos (director geral da TVI), Helena Forjaz (ex-directora de relações institucionais da Media Capital), Raul Ferreira (controller TVI/Plural Portugal), Carlos Barata (director de antena e research), Paulo Lourenço (chief revenue officer da Media Capital) e Margarida Vitória Pereira (responsável pela área de planeamento e compras e vendas).

A TVI tinha anunciado em Agosto do ano passado que ia avançar para tribunal depois de ser conhecida a contratação de Ljubomir Stanisic por parte da SIC. De acordo com a estação de Queluz, teria havido uma quebra do contrato entre a estação e o chef e apresentador, que estaria válido até ao final de 2020.

“Ljubomir tinha um contrato de trabalho em vigor até ao final do ano, ao qual acrescia um valor dedicado pela produção dos seus programas. Tendo o chef rescindido de forma unilateral, reserva-se agora a TVI o direito de activar mecanismos legais que a salvaguardem”, declarou então a TVI em comunicado. Segundo a TVI, “no início de 2020, Stanisic estabelecera já um novo contrato, em condições muito favoráveis e invulgares no mercado, para a produção de uma nova temporada de Pesadelo na Cozinha. Por razões de saúde, um problema sério num joelho, e devido à pandemia, não foi possível concretizar a produção, o que deveria suceder agora, com data marcada para 15 de Setembro, dentro do espírito de boa fé e do contratualmente definido entre as partes”. De acordo com a estação da Media Capital, que se diz “surpreendida com este procedimento inusitado”, “decorriam negociações entre as partes para a renovação do acordo global por mais dois anos. A TVI fez uma oferta e uma contra-oferta, dentro de valores considerados ajustados”.

Recorde-se que, noutra frente e a propósito da saída de Cristina Ferreira da SIC conhecida a 17 de Julho de 2020, a estação da Impresa deu entrada, em Setembro do ano passado, de um processo contra a actual directora de ficção e entretenimento da TV, no mesmo Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa. A SIC exigia então o pagamento de uma indemnização de 20 milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário