Prevenção de incêndios dá duas pratas à FCB Lisboa na Bielorrússia (com vídeo)

Por a 16 de Junho de 2021

O projecto Pyros Collection, criado pela FCB Lisboa para a ANP/WWF com o objectivo de alertar as autoridades para a importância da prevenção contra os incêndios, foi o único trabalho nacional premiado no White Square. O festival, promovido pela Associação de Agências de Marketing e Comunicação da Bielorrússia, distinguiu o projecto da FCB Lisboa com duas pratas, obtidas nas sub-categorias de Experiência de Marca & Activação e Relações Públicas, no segmento para trabalhos criados para entidades sem fins lucrativos. O projecto destacou-se entre 901 trabalhos a concurso, inscritos por agências de 25 países.

A Pyros Collection, um conjunto de peças de mobiliário com design moderno criadas a partir de madeira queimada, foi um projecto da FCB Lisboa para a ANP/WWF com o intuito de alertar as autoridades para a importância da prevenção contra os incêndios. Para isso, a organização de defesa e conservação ambiental ofereceu uma das peças da colecção a João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Acção Climática, tendo como objectivo “lembrar as autoridades dos fogos de 2019 e incentivar o governo a criar medidas de prevenção, que evitem no futuro tragédias de grande dimensão, como o incêndio de 2017 em Pedrógão Grande, que matou 66 pessoas”.

Sob o mote “A solução está na nossa mão”, a iniciativa foi lançada no mesmo dia em que a organização divulgou o Relatório Ibérico de Incêndios, onde se sublinhava que isso passa por “apostar na prevenção à escala planetária: lutar contra as alterações climáticas, gerir o território, promover paisagens rentáveis e menos inflamáveis, reduzir a sinistralidade e travar a desflorestação nos trópicos”.

A Pyros Collection conta com peças alusivas ao tema, como a mesa Ignis (incêndios), o banco Lacrimae (lágrimas) ou a mesa Devastio (devastação). Criadas a partir de madeira queimada, as peças desenhadas e produzidas pelo arquitecto Nuno Lacerda (CNLL Architects) visam “não deixar tragédias recentes caírem no esquecimento” naquilo a que o arquitecto chama de anti-design já que se trata de um conjunto de peças que “em vez de gerar conforto, pretende gerar desconforto”. O catálogo completo pode ser visto na plataforma www.natureza-portugal.org.

Deixe aqui o seu comentário