Uzina recupera argumento e produtora de Fernando Pessoa para mostrar potencial do Samsung Galaxy S21 (com vídeo)

Por a 11 de Maio de 2021

O Ídolo apresenta-se como o primeiro filme de Fernando Pessoa e nasce de um desafio lançado pela Uzina e pela Samsung ao realizador Pedro Varela. O resultado é uma curta-metragem totalmente filmada com o novo Galaxy S21 Ultra 5G a partir de “Note for a thriller, or film”, argumento escrito há quase cem anos por Fernando Pessoa. Para a produção do filme foi ainda recriada a Ecce Film, produtora que tinha sido pensada pelo escritor, com um logótipo desenhado pelo próprio, e que seria responsável pela produção dos argumentos que escreveu, que seriam compilados em 2011 no livro “Fernando Pessoa – Argumentos para Filmes”.

Escrito e realizado por Pedro Varela, com produção da Blanche Filmes, O Ídolo adapta um desses seis argumentos e tem estreia agendada para esta quarta-feira, sendo descrito como “uma história onde intriga, mistério e suspense se cruzam com a disputa por um objecto precioso a bordo de um navio transatlântico”. A curta-metragem, com cerca de 20 minutos, foi rodada durante seis dias entre Viana do Castelo, a Serra de Sintra e Lisboa, com a acção a remeter para o ano de 1928.

“Quando me surgiu o desafio da Samsung e da Uzina para revisitar esta faceta praticamente desconhecida de Fernando Pessoa, não hesitei. Desde o primeiro minuto que senti o enorme privilégio e a responsabilidade de continuar uma ideia escrita há quase cem anos, por uma das nossas maiores referências culturais”, afirma Pedro Varela, sublinhando que “fazer justiça ao que o Pessoa teria na sua intenção original, foi o meu único objectivo”. “Foi esse o meu mergulho. Apesar do desafio de filmar o filme através de um smartphone, não podia estar mais feliz com o resultado final”, conclui o realizador.

“A Samsung tem procurado assumir um papel muito relevante na criação e promoção de experiências através dos seus dispositivos. Numa altura em que cada vez mais os equipamentos se confundem entre si, torna-se imperioso traduzir de forma fácil e intuitiva aquilo que a nossa tecnologia oferece aos consumidores”, justifica José Correia, director de marketing de produto mobile, explicando que “a activação de mensagens com as quais o público se identifica está na base da nossa criação de conteúdos e foi a partir desta premissa que decidimos apostar uma vez mais no eixo da portugalidade”.

Deixe aqui o seu comentário