SIC foi o único canal generalista a crescer em Abril

Por a 3 de Maio de 2021

quadro 1
A análise de audiências de TV da agência de meios Initiative, que integra o grupo Mediabrands, revela que
em Abril, o consumo televisivo caiu 6% face a Março, num mês marcado pelo alívio nas restrições de confinamento
no combate à pandemia e consequente abertura dos espaços públicos. Ainda assim, a SIC voltou a liderar o ranking de canais com um share de 20.2%, mais 0.7 p.p. versus Março. A estação de Paço de Arcos lidera há 27 meses consecutivos e foi o único canal generalista a subir neste indicador. Nota ainda para o canal que não observava um share superior a 20% desde Julho de 2020. Por sua vez, a TVI terminou o mês com um share de 17.5%, menos 0.3 p.p. face a Março. A RTP1 caiu para os 11.1%, após ter verificado perdas de 0.6 p.p. Olhando para o universo dos canais Pay TV, verificou-se um aumento de 0.8 p.p. na quota de share destes canais para os 35.5%. CMTV (4.3%), Globo (2.2%) e SIC Notícias foram os canais mais vistos nesta tipologia.

Análise às estreias

Abril contou com novos programas na grelha dos principais canais portugueses. Destaque para a nova
telenovela da TVI Festa é Festa, estreada no dia 26 de Abril. Neste dia foi o programa mais visto com uma audiência
média de 1 milhão e 358 mil telespectadores. Esta foi a telenovela com mais com mais telespectadores numa estreia
da TVI desde a estreia de Jogo Duplo, a 4 de dezembro de 2017. Com Pedro Teixeira, Ana Guiomar, Maria do Céu
Guerra, entre outros no elenco, a telenovela terminou o mês com uma audiência média de cerca de 1.4 milhões de
telespectadores e um share de 25.9%. Destaque também para a estreia da série documental Mulheres em Portugal,
transmitida na RTP1. Conduzida por Carlos Daniel, a série que faz uma reflexão sobre o que é ser mulher em Portugal contou com uma audiência média na estreia de 548 mil telespectadores. A estação de televisão pública também estreou a série de ficção histórica Vento Norte. No dia em que foi para o ar verificou uma audiência média de 454 mil telespectadores e um share de 8.4%.

Analisando a média de todas as inserções de cada programa, o destaque vai para a emissão das partidas a
contar para os quartos de final da Liga dos Campeões. Os jogos que ditaram a eliminação do FC Porto da competição
foram os programas mais vistos do mês (TVI), tendo registado uma audiência média de 1 milhão e 973 mil
telespectadores a que correspondeu um share de 37.9%. Seguiu-se o programa de Ljubomir Stanisic – Hell’s Kitchen:
O Inferno, que verificou uma audiência média de 1 milhão e 519 mil telespectadores e um share de 29.3%. A fechar o
top de programas mais vistos do mês esteve Isto é Gozar com Quem Trabalha. O programa de Ricardo Araújo Pereira
voltou a estar em destaque, já que conseguiu manter, em média, perto de 1.5 milhões de portugueses colados ao
ecrã. Em Abril, destaque ainda para a entrevista da TVI a José Sócrates, que foi vista por mais de 1.3 milhões de
portugueses e para a noite de Óscares transmitida pela RTP1.

No acumulado do mês e em termos de período horário, a TVI lidera as noites (0h00 – 2h30) com 14.6% de
share, as madrugadas (2h30 – 7h30) com 8.9% e as manhãs (7h30-12h30) com 15.6%, mais 0.5 p.p. que a SIC. Esta
última sobe à liderança nos restantes períodos: horas de almoço (12h30 – 14h30) com 28.1% de share, tardes (14h30
– 18h30) com 18.3%, pré-prime (18h30-20h) com 20.7% e Prime-Time (20h-0h00) com 23.2%.

quadro 3
quadro 2

initiativeFonte: Initiative

Deixe aqui o seu comentário