L’Oréal desafia influenciadores a fazer tatuagens contra o assédio em locais públicos

Por a 16 de Abril de 2021

StandUPSão cinco as tatuagens criadas pela tatutadora Mariza Seita em resposta ao desafio lançado pela L’Oréal Paris com o objectivo de sensibilizar os portugueses para a questão do assédio em locais públicos. A acção, inserida no projecto internacional Stand Up Contra o Assédio em Locais Públicos e criada para incentivar à participação numa formação online sobre o tema desenvolvida pela Hollaback!, contará agora com a participação de influenciadores e criadores de conteúdo que a marca irá mobilizar para partilhar as tatuagens que representam a metodologia 5D. Este método, que é a base da formação online, é descrito como “um sistema pioneiro que permite à vítima e às testemunhas uma intervenção segura contra o agressor”.

Cada tatuagem representa o símbolo de cada um dos D da metodologia dos 5D, com um balão de fala (em voz alta) para o D de Distrair, um balão de fala para o D de Depois, um apito para o D de Delegar, um telefone com máquina fotográfica para o D de Documentar e um Coração para o D de Direccionar. As tatuagens serão publicadas no Instagram da tatuadora Mariza Seita, sendo impressa uma edição limitada que a L’Oréal Paris enviará a 100 mulheres, incluindo actrizes, apresentadoras, jornalistas, modelos, empresárias e criadores de conteúdos.

“L’Oréal Paris é uma marca que tem como missão derrubar estereótipos, de maneira a dar às mulheres confiança e poder para ocuparem o lugar que merecem na sociedade e alcançarem os objectivos que traçaram. Acreditamos no projecto Stand-Up, na metodologia desenvolvida pela Hollaback! e quisemos criar uma acção impactante, inovadora e que conseguisse chamar a atenção de todos para o Assédio em Locais Públicos, que infelizmente afecta tantas pessoas diariamente”, aponta Afonso Cruzeiro, director de marketing da L’Oréal Paris. “Também ela verdadeiro exemplo de empowerment feminino, a Mariza Seita aceitou o desafio de imediato, envolveu-se na criação das tatuagens e contamos com ela e com todos para passar a palavra”, prossegue o responsável.

“A minha arte tem um papel fundamental na imagem de cada pessoa e no compromisso social. Assumimos as tatuagens como algo único que representa uma escolha individual, uma ambição ou um acontecimento. O assédio existe e não deve ser ignorado. Orgulho-me de poder fazer parte deste movimento com as minhas tatuagens e poder, também, alertar todos para este problema”, refere, por sua vez, a tatuadora Mariza Seita.

Deixe aqui o seu comentário