Conflito Mário Ramires/Newsplex e Álvaro Sobrinho/Lapanews segue no DCIAP

Por a 29 de Abril de 2021

pjimage (60)Mário Ramires, director do semanário Nascer do Sol, e a Newsplex, editora responsável pelo semanários e pelo diário Inevitável (ex-I), apresentaram uma queixa-crime no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) contra Álvaro Sobrinho, o seu irmão Sílvio Madaleno, Rui Teixeira dos Santos, os sócios da empresa Lapanews, e contra os directores do jornal Novo, Octávio Lousada Oliveira e Diogo Agostinho.

Segundo avança a revista Sábado, os queixosos alegam terem sido burlados por Álvaro Sobrinho, empresário responsável pela Newshold, que editava os títulos Sol e I até os títulos passarem para a Newsplex de Mário Ramires. Os dois jornais mudaram de nome no final do ano passado, já que a Newsplex não era a detentora das marcas.  De acordo com a queixa, Álvaro Sobrinho não terá assegurado um financiamento de 2,5 milhões de euros destinado à edição dos dois jornais (Sol e I). Além disso, a Newshold, que entretanto abriu falência, terá deixado dívidas à Segurança Social que agora procura cobrá-las junto de Mário Ramires.

A queixa-crime refere também que a marca Sol é detida pelo offshore Pineview de Álvaro Sobrinho, que a terá cedido à nova editora Lapanews sem qualquer contrapartida financeira. No entanto, refere a Sábado, o contrato de cedência da marca Sol, assinado em Novembro de 2020 entre Álvaro Sobrinho e Rui Teixeira os Santos refere que o novo jornal deverá “zelar pelo bom nome, honra e reputação” da Pineview, “abstendo-se de fazer quaisquer publicações cuja veracidade não se encontre devidamente comprovada e/ou que possam pelo seu conteúdos colocar em causa o bom nome e reputação” da sociedade offshore.

O novo semanário em papel da Lapanews chegou às bancas com a designação Novo e não como Sol, como pretendiam os responsáveis. A ERC negou o pedido de registo de um novo jornal Sol.

Deixe aqui o seu comentário