Associações de rádio e imprensa pedem um Conselho de Ministros para analisar situações dos media

Por a 28 de Abril de 2021

Antonio CostaA AIC (Associação de Imprensa de Inspiração Cristã), a API (Associação Portuguesa de Imprensa), a APR (Associação Portuguesa de Radiodifusão) e a ARIC (Associação de Rádios de Inspiração Cristã) enviaram na passada sexta-feira uma carta dirigida ao primeiro-ministro onde manifestam a sua preocupação pelo facto do último Conselho de Ministros dedicado à cultura não ter abordado, “sob nenhuma forma”, a situação da comunicação social. As associações propõe a realização “em breve” de um “Conselho de Ministros para os Media”.

As quatro associações consideram que se acentuaram “as condições negativas resultantes da contração económica motivada pela pandemia, o que tem como consequência um continuado recuo do investimento publicitário na rádio, na televisão e na imprensa, acompanhado pela queda das vendas de publicações e outros suportes em papel e digital, em virtude da redução do número de pontos de venda e das crescentes actividades de pirataria e de desinformação”.

Na mesma carta dirigida a António Costa, as entidades manifestam “a esperança de que muito brevemente possamos contar com a atenção e o interesse do governo para os problemas do nosso sector, cujos impactos ultrapassam muito a sua dimensão estatística, pois constitui um elemento fundamental da Democracia em que todos queremos viver, da luta contra a iliteracia e a desinformação, vital neste momento de pandemia e da afirmação cultural de Portugal na Europa e no mundo”.

As quatro associações relembram que representam as empresas que empregam metade dos jornalistas em Portugal.

Deixe aqui o seu comentário