Auditor determina valor da Media Capital e força Mário Ferreira e Cofina a subir oferta

Por a 3 de Março de 2021

media capitalO valor da Media Capital rondará os 61,3 milhões de euros, fixando-se nos 0,725 euros por acção. Este é o preço determinado pelo auditor independente que avaliou a operação da dona da TVI a pedido da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Um valor que, servindo de base para as duas OPA actualmente em curso, uma submetida por Mário Ferreira e outra pela Cofina, forçará, quer o actual presidente do conselho de administração da Media Capital quer o grupo liderado por Paulo Fernandes, a uma subida das suas ofertas caso pretendam avançar com o negócio.

“No seu relatório, o auditor refere que, ‘[e]m nossa opinião, o valor do capital próprio da Média Capital ascende a 61.313.995 euros, o que representa cerca de 0,725 euros por cada acção’”, pode ler-se no comunicado emitido esta terça-feira pelo regulador dos mercados. Um valor que, no caso da oferta da Cofina, chega a ser 75% acima daquilo que o grupo dono do Correio da Manhã e da CMTV havia proposto pagar na sua oferta pública de aquisição (OPA), fixada nos 0,415 euros por acção. No caso da OPA submetida por Mário Ferreira, o valor agora determinado pelo auditor é 10% superior ao valor mínimo estipulado para a oferta lançada e obrigará o empresário a pagar mais 12% pelo capital dos quase 70% do grupo que não detém.

Isto porque, sendo a OPA de Mário Ferreira posterior à da Cofina, da qual é concorrente, o preço por acção tem de ser 2% superior, o que faz com que “o respectivo valor da contrapartida deverá ser de 0,7395 euros por acção, superior em 2% ao valor da contrapartida da OPA da Cofina”, aponta a CMVM. Antes da avaliação agora realizada pelo auditor independente, recorde-se, o preço mínimo que estava estabelecido para a OPA de Mário Ferreira era de 0,67 euros por acção, valor que foi pago pelos novos accionistas da Media Capital à Prisa.

Agora resta saber se a OPA da Cofina irá manter-se já que o grupo tinha chegado a admitir a possibilidade de deixar cair a operação caso o valor determinado pelo auditor fosse superior ao que se tinha disposto a pagar. A Cofina, recorde-se, tinha desistido de comprar a Media Capital à Prisa no ano anterior e avançou com uma OPA cuja contrapartida se situava nos 0,415 euros por acção. “A Cofina informará no prazo de três dias se pretende ou não renunciar à mesma”, refere a CMVM.

Deixe aqui o seu comentário