Larry Flynt (1942-2021)

Por a 11 de Fevereiro de 2021

larry-flynt1Faleceu Larry Flynt vítima de paragem cardíaca. Em 1974 criou a Hustler, como concorrente directa da Playboy, que o próprio Larry Flynt considerava “desactualizada”. Esta versão, relembra a agêncua Lusa, tinha imagens muito explicitas e um tom deliberadamente escandaloso.  A ‘explosão’ da Hustler deu-se em 1975, quando a revista publicou, sem autorização, fotografias da antiga primeira-dama dos Estados Unidos, Jacqueline Onassis, casada com John F. Kennedy, despida. . A revista vendeu mais de um milhão de cópias só com esta edição.

Um ano depois foi julgado em Cincinnati por acusações de obscenidade e crime organizado. Condenado entre sete a 25 anos de prisão, Flynt abandonou o estabelecimento prisional com apenas seis dias de pena cumprida. Depois de uma capa a satirizar, em Novembro de 1983, um anúncio do televangelista Jerry Falwell, Flynt foi novamente processado.

Condenado a pagar 150 mil dólares, Flynt recorreu ao Supremo Tribunal em 1988, que unanimemente decidiu, com base na primeira e 14.ª Emendas da Constituição norte-americana, que “previnem uma figura pública de ser ressarcida por danos emocionais que sejam infligidos por intermédio de uma caricatura, sátira ou paródia dessa figura pública que uma pessoa razoável não tivesse interpretado como factual. O caso tornou-se central para os julgamentos sobre liberdade de expressão, que, entretanto, foi citado inúmeras vezes em situações semelhantes e para vários argumentos legais, razão pela qual Flynt se intitulou o defensor da liberdade de expressão”, descreve a agência Lusa. Mantinha um site próprio em que se intitulava “activista pela liberdade de expressão”.

Em 1996 a Columbia Pictures estreou o filme biográfico The People vs. Larry Flynt, com o actor Woody Harrelson no papel de Larry Flynt.

Deixe aqui o seu comentário