Global Media avança com despedimento colectivo (em act.)

Por a 30 de Outubro de 2020

Global MediaO Global Media Group vai avançar com um despedimento colectivo que abrange 81 colaboradores, 17 dos quais jornalistas. Em comunicado enviado a todos os funcionários no final da tarde de sexta-feira, o grupo dizia que “a evolução acentuadamente negativa do mercado dos media, agora mais evidente com a presente pandemia, precipitou os meios de comunicação social numa crise sem precedentes a que importa responder com fortes medidas de contenção. A profunda quebra de receitas do sector, em particular na área da imprensa, impõe à Global Notícias, Media Group, SA uma opção difícil, mas inadiável: iniciar um processo de despedimento coletivo que abrange 81 colaboradores, 17 dos quais jornalistas, em diferentes áreas da empresa”. Os trabalhares abrangidos começaram esta sexta-feira a ser avisados.

“Trata-se de uma decisão que, ponderando o respeito e a dignidade de todos os envolvidos, é assumida na plena consciência dos custos sociais que provoca, mas também na certeza de que as medidas que estamos a tomar permitem ao Global Media Group regressar a um nível económico e financeiro saudável, garantir a proteção de várias centenas de postos de trabalho e a continuidade dos inestimáveis serviços que os nossos meios de informação, alguns deles centenários, vêm prestando à comunidade, com qualidade e independência”, prossegue.

O grupo afirma que tem “vindo a desenvolver um conjunto de ações de contenção, a todos os níveis, que todavia se têm revelado insuficientes para permitir inverter os desequilíbrios existentes”, pelo que é “indispensável ir mais longe nos objetivos de restruturação, de modo a ultrapassar os obstáculos de mercado e de conjuntura. Naturalmente, que além desta medida, tão difícil, outras foram e serão tomadas”, continua, sem entrar em detalhes.

“Cientes da acrescida responsabilidade social que lhes advém do facto de gerirem um grupo de media cujo objeto tem associado um conceito de serviço à coletividade, e que lhes impõe a ponderação de valores, princípios e os mais exigentes critérios éticos, a Administração e os Acionistas do Global Media Group garantem aos seus colaboradores, clientes, parceiros e aos portugueses em geral que tudo farão para garantir a sustentabilidade das suas empresas e a perenidade dos seus principais títulos”, termina o comunicado assinado pela administração do grupo.

Nas últimas semanas, antes de avançar com o despedimento colectivo, o grupo tem vindo a fechar acordos de rescisão por mutuo acordo com vários profissionais, sobretudo cargos de direcção transversais a todos os títulos/empresa.

O grupo que detém o Jornal de Notícias, O Jogo, a TSF ou o Diário de Notícias, recorde-se, está em processo de mudança da estrutura accionista. Em Setembro, Marco Galinha, fundador do grupo Bel, chegou a acordo para integrar a estrutura, tornando-se, ao que se sabe, o accionista maioritário do grupo, Entretanto, Domingos de Andrade, director do Jornal de Notícias, foi cooptado vogal do conselho de administração do grupo, não tendo sido adiantado  se vai também integrar a comissão executiva, neste momento composta por Afonso Camões e Guilherme Pinheiro

Deixe aqui o seu comentário