Bareme Rádio: Comercial reforça liderança

Por a 15 de Outubro de 2020

manhas-da-comercialNuma altura em que a rádio começa a recuperar audiências, a Comercial descolou na liderança ao recuperar 2,5 pontos percentuais entre vagas, alcançando 17,4% de Audiência Acumulada de Véspera (AAV), alargando para 2 pontos percentuais a vantagem sobre RFM. A estação do grupo Renascença Multimédia recuperou 1,6 pontos percentuais face à vaga anterior, fixando-se nos 15,4%. Após uma terceira vaga marcada por uma quebra generalizada na audiência da principais estações de rádio em consequência do período de confinamento, a quarta vaga do Bareme Rádio da Marktest reflecte já alguma recuperação do sector, que se mantém, ainda assim, longe dos valores recorde alcançados até ao início deste ano. A estação do grupo Media Capital Rádios (MCR), que volta agora a reforçar o estatuto de estação mais ouvida no país e regressa aos valores registados na segunda vaga, chegou a atingir, na primeira vaga deste ano, a fasquia dos 19%, descendo para os 17,1% na segunda.

A RFM, que na primeira vaga se encontrava a apenas três décimas da sua concorrente directa, fica ainda aquém dos valores da segunda vaga, altura em que apresentava uma AAV de 16%. Desta forma, a estação vê dilatar a distância de 1,1 pontos percentuais que a separava da Comercial nas duas vagas anteriores para 2 pontos percentuais. A audiência agora registada pelas duas estações representa igualmente uma quebra comparativamente à vaga homóloga em 2019, altura em que a Comercial registava uma AAV de 18,1%, enquanto a RFM estava nos 18%.

A M80 não só permanece como a terceira rádio mais ouvida no país como iguala a sua melhor audiência de sempre ao atingir uma AAV de 7,3%, recuperando sete décimas face à vaga anterior e crescendo 1,1 pontos percentuais na comparação com a vaga homóloga em 2019. Na quarta posição mantém-se a Renascença, que recupera oito décimas face à vaga anterior, passando dos 5,6% para os 6,4%, valor que traduz igualmente um crescimento face à vaga homóloga, altura em que registava uma AAV de 5,8%. O top 5 das rádios mais ouvidas no país fica completo com a Antena 1, que sobe dos 4% para os 4,3 entre as duas últimas vagas, representando uma quebra de seis décimas face aos 4,9% que registava na vaga homóloga em 2019.

Com uma AAV de 3%, TSF e Cidade FM surgem empatadas na sexta posição, embora com evoluções em sentido contrário. A estação do Global Media Group desce uma décima relativamente aos 3,1% que registava na vaga anterior e duas décimas face à vaga homóloga. Já a estação do grupo MCR vê a sua AAV subir uma décima entre vagas, embora este resultado represente, na comparação com a vaga homóloga em 2019, uma quebra de sete décimas. Segue-se a Mega Hits, que cresce duas décimas entre vagas, dos 2,5% para os 2,7%. No entanto, este valor traduz uma quebra de 1,1 pontos percentuais relativamente à vaga homóloga, altura em que a estação do grupo Renascença Multimédia ocupava a sexta posição, à frente da Cidade FM e da TSF, com uma AAV de 3,8%.

A Antena 3 mantém-se no nono lugar, descendo dos 1,5% para 1,4%, o que representa uma quebra de nove décimas relativamente aos 2,3% registados na vaga homóloga. Fecha o top 10 a Smooth FM, que desce duas décimas face à última vaga e três décimas em comparação com a vaga homóloga ao registar agora 0,7% de AAV. Também com 0,7% surge a Rádio SIM, que entretanto foi descontinuada.

Analisando os resultados de audiência por grupos, a Media Capital Rádios mantém a liderança com a mesma vantagem da vaga anterior: 1,5 pontos percentuais. O braço radiofónico da Media Capital regista uma AAV de 25,5%, subindo 2,7 pontos percentuais face à vaga anterior. Já o grupo Renascença Multimédia, que na última vaga se situava nos 21,3%, sobe 2,7 pontos percentuais, fixando-se nos 24% de AAV. Na comparação com a vaga homóloga em 2019, o grupo MCR regista uma quebra de oito décimas já que se situava então nos 26,3%. Já a Renascença Multimédia sofre uma quebra homóloga de 2,9 pontos percentuais já que liderava nessa quarta vaga de 2019 com uma AAV de 26,9%. Com 6%, a RTP sobe três décimas face à vaga anterior, registando no entanto uma quebra de 1,2 pontos percentuais em comparação com a vaga homóloga em 2019.

Deixe aqui o seu comentário