Empresário tenta travar Festa do Avante no tribunal

Por a 25 de Agosto de 2020

carlos valenteDeu entrada esta segunda-feira, no tribunal do Seixal, uma providência cautelar para tentar travar a Festa do Avante. O pedido foi avançado a título pessoal por Carlos Valente, country manager da Pioneer, empresa que fornece equipamentos festivais e discotecas, e da Recordignition, empresa de comercialização de  material electrónico.

Segundo avançou o Observador, esta é uma acção urgente, pelo que o juiz terá de ouvir a organização da Festa e decidir se aceita ou não a providência. Se for aceite, a Festa do Avante poderá ser suspensa, ainda que os comunistas tenham a possibilidade de impugnar a decisão.

Na argumentação que consta na providência não há referências à questão política, mas apenas à manutenção de uma actividade económica que está vedada a outros intervenientes. Recorde-se que até 30 de Setembro encontram-se proibidos os festivais de música de grande dimensão. O PCP sustenta que a Festa do Avante é uma iniciativa política.

Deixe aqui o seu comentário