Cofina avança com OPA sobre a totalidade Media Capital

Por a 12 de Agosto de 2020

paulo-fernandes-10.jpgA Cofina anunciou que vai lançar uma OPA sobre a totalidade da Media Capital. O valor agora proposto é de 0,415  por acção, correspondendo a um valor total de 35.072.969,70 euros, considerando um entreprise value de cerca de 130 milhões de euros, diz o grupo liderado por Paulo Fernandes em comunicado.

É “uma avaliação acima das estimativas do mercado efectuadas pelos analistas… tendo implícitos múltiplos superiores aos das empresas FTA”, prossegue a dona do Correio da Manhã.

Recorde-se que a Cofina, tinha chegado, no final do ano passado, a acordo com a Prisa para a compra de 95% da
Media Capital por cerca de 120 milhões de euros, aos quais se juntava a dívida de 85 milhões. Por 10 milhões,  a Cofina faria de seguida uma OPA, para ficar com os restantes 5% dispersos em bolsa. Abortada pela Cofina, em Março, a operação, o grupo de Paulo Fernandes mantinha-se, pela CMVM, vinculada a lançar a OPA sobre os 5% remanescentes.

Entretanto, já após o empresário Mário Ferreira ter chegado a acordo com a Prisa para a compra de 30% do grupo, por 10,5 milhões, Paulo Fernandes fez saber que pretendia prosseguir com a OPA, mas sobre a totalidade da Media Capital e ajustada a oferta às actuais condições de mercado. A modificação das condições estava dependente de autorização da CMVM, concedida agora.

A principal condição para a OPA avançar é que consigam comprar pelo menos 50% da Media Capital.

“A aquisição da Media Capital pela Cofina integra-se na estratégia de consolidação dos media no plano global, mantendo-se no essencial a actividade destas sociedades e das sociedades que com estes estejam em relação de domínio ou grupo, permitindo potenciar o investimento na expansão digital, o lançamento de serviços inovadores e a promoção e desenvolvimento de conteúdos produzidos em Portugal, mantendo-se a Media Capital como um activo com identidade portuguesa”, diz a Cofina em comunicado, lembrando já ter autorizações da Autoridade da Concorrência e da ERC.

Mário Ferreira poderá agora ver-se obrigado a lançar uma OPA concorrente à da Cofina.

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário