RTP gasta 200 mil euros por ano para manter terrenos não utilizados

Por a 15 de Julho de 2020

rtp sedeNos últimos cinco anos gastámos um milhão de euros numa actividade que não é produtiva”, apontou Gonçalo Reis, presidente do Conselho de Administração da RTP, referindo-se a uma verba de 200 mil euros gasta anualmente com a manutenção de terrenos não utilizados. Em causa estão os custos de manutenção, a cargo da estação pública, de terrenos agrícolas como os de Miramar ou Pegões, o que representa “200 mil euros em manutenção, segurança, desmatagem e isso é um montante significativo”, referiu Gonçalo Reis.

O presidente do Conselho de Administração da estação pública, que respondia a questões dos deputados no âmbito de uma audição na comissão parlamentar de Cultura e Comunicação”, explicou que “a política da RTP nos últimos 20 anos é tratar bem das instalações que são necessárias e racionalizar aquelas que comprovadamente não têm actividade produtiva”. No entanto, justificou, a administração “não toma hoje uma decisão” sobre os activos “sozinha, sem ter a aprovação do accionista”.

Gonçalo Reis chamou, por isso, a atenção para o facto de que “nos últimos cinco anos gastámos um milhão de euros numa actividade que não é produtiva”, sugerindo uma reflexão sobre o assunto já que “quem paga a CAV [contribuição para o audiovisual] é para a empresa produzir conteúdos audiovisuais”.

Sobre o programa de indústrias criativas no actual contexto de pandemia, o administrador da RTP Hugo Figueiredo assegurou que, neste momento, há cerca de “dois milhões de euros de adiantamentos que foram feitos a diversas produções que estavam aprovadas e muitas delas já retomaram a produção”. Ao nível da aquisição de novos programas, acrescentou, desde meados de Março que estão em curso “cerca de dois milhões de euros” em programas de apoio às indústrias. Já na rádio, os investimentos rondam os três milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário