Compra antecipada de publicidade institucional do Estado deverá arrancar até ao final do mês

Por a 21 de Julho de 2020

MediaA compra a antecipada de publicidade institucional por parte do Estado, medida anunciada no passado mês de Abril pelo governo como forma de mitigar o impacto da pandemia no sector, deverá arrancar “até ao final do mês”. As verbas, cuja distribuição ficou definida já em Maio, ainda não chegaram aos meios de comunicação social por se tratar de um “processo administrativo complexo” e que, “como tal, exigiu de facto um tempo para poder ser concretizado”.

A justificação foi dada pelo secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur da Silva, durante a audição regimental do Ministério da Cultura na comissão parlamentar de Cultura e Comunicação. “Estamos em condições de dizer que até final deste mês os órgãos de comunicação social serão contactados para se proceder aos pagamentos”, adiantou Nuno Artur Silva, quando questionado pelo deputado do PSD Paulo Rios de Oliveira sobre quando é que as verbas começariam a chegar aos media.

Sobre a forma como cada meio de comunicação usará o valor recebido, o secretário de Estado sublinhou que “não há condições” para a atribuição das verbas, que obedece à Lei de Publicidade Institucional. “Como é óbvio, é uma compra que – como estaremos certamente de acordo – terá toda a vantagem de ser o mais cega possível e sem qualquer tipo de ingerência na forma como esse dinheiro é utilizado”, defendeu Nuno Artur Silva, reforçando não se tratar de um subsídio mas sim de uma “compra antecipada de publicidade”.

Deixe aqui o seu comentário