Audiências TV: Consumo cresceu 22% no primeiro semestre mas já recuou 8% em Junho

Por a 2 de Julho de 2020

Clipboard01A análise de audiências de televisão da agência de meios Initiative, que integra o grupo IPG Mediabrands, revela que o consumo televisivo em Portugal aumentou 22% no primeiro semestre do ano em comparação com o período homólogo. A chegada da covid-19 a Portugal teve um grande impacto na evolução do consumo de televisão neste período, reflectindo-se num aumento substancial nas audiências de canais. Em destaque, esteve a SIC, que liderou o ranking de canais e registou um share de 20.3%, tendo aumentado em +31% a sua audiência média face a Janeiro-Junho de 2019. Logo depois, a TVI com um share de 14%, embora tenha sido o único canal generalista a sofrer uma ligeira perda de audiências face ao período homólogo (-1%). Já a RTP1 terminou o semestre com 12% de share e conquistou ainda um aumento de 19% da sua audiência média.
Clipboard02

Clipboard01Destaque também para os canais de informação, que foram os principais aliados dos portugueses neste período marcado pela pandemia. Esta tipologia de canais foi das que mais telespectadores conquistou, como se comprova pelo aumento de 63% na audiência média da SIC Notícias, de 38% na CMTV, de 25% na TVI24 e de 19% na RTP3 (TDT). Menção também para a performance de Outros (visionamento residual de canais não auditados, consumo diferido de dias anteriores e outras utilizações do televisor como streaming e consolas), que, neste semestre e alavancada pela pandemia, se posicionou à frente da RTP1 tanto em audiência média (+27 mil telespectadores do que a estação de televisão pública) como em share (+1.2 p.p.).

Clipboard04Analisando a média de todas as inserções de cada programa para o primeiro semestre de 2020, destaque para Isto É Gozar Com Quem Trabalha, da SIC, que foi o programa mais visto neste período. Ricardo Araújo Pereira e companhia conseguiram juntar, em média, perto de 1.6 milhões de telespectadores à televisão, tendo correspondido um share de 28.8%. Seguiu-se o reality show Quem Quer Namorar com o Agricultor? – A Decisão, com uma audiência média de 1.5 milhões de telespectadores e um share de 32.7% e, a completar o top 3 dos mais vistos, surge o jogo da final da Taça da Liga, transmitido pela RTP1, que colocou frente-a-frente o SC Braga e o FC Porto (audiência média de 1.5 milhões de telespectadores 33% de share). Da TVI, destaque para Pesadelo na Cozinha (audiência média de 1.3 milhões e 26.2% de share) e para Big Brother, agora apresentado por Cláudio Ramos. No top 20 de programas a SIC conta com 15, a TVI com três e a RTP1 com dois (ambos jogos de futebol).

Consumo televisivo cai 8% com o início do Verão e levantamento de medidas de confinamento

Clipboard03Com a entrada do Verão e com o avançar das medidas de desconfinamento, o consumo televisivo em Portugal aproxima-se gradualmente dos valores registados antes da chegada da pandemia. Ainda assim, o consumo televisivo em Junho regista uma performance superior em +11% face a Fevereiro.

Clipboard02Em Junho, a SIC manteve a liderança de canais, embora tenha registado uma quebra de -9% na sua audiência média face a Maio. A estação de Paço de Arcos terminou o mês com um share de 20.5%. Já a TVI registou um share de 14.6, mais 2.4 p.p. do que a RTP1, que registou um share de 11.2%. Destaque para a TVI Reality, que, com as transmissões de Big Brother, foi o terceiro canal Pay TV mais visto em Junho.

Neste mês, destaque também para algumas mudanças nas grelhas de canais. Na RTP1, mencionar a estreia de Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão. Filomena Cautela, ex-apresentadora do 5 para a Meia Noite, é a nova cara do programa que foi para o ar no dia 20 de Junho, tendo sido o sexto programa mais visto. Nesse dia, registou uma audiência média de 829 mil telespectadores e um share de 17.1%, mais 5.9 p.p. do que a média do canal em Junho. A SIC também estreou um novo programa para preencher as tardes de domingo. Domingão: Especial Verão estreou a 21 de Junho e manteve, em média, 671 mil portugueses agarrados ao ecrã, tendo correspondido um share de 20.1%

initiativeFonte: Initiative

Deixe aqui o seu comentário