Jorge Castanheira prepara-se para deixar a Wunderman Thompson

Por a 13 de Maio de 2020

Jorge CastanheiraJorge Castanheira, managing director da Wunderman Thompson desde a fusão que juntou a J. Walter Thompson à Wunderman, onde esteve mais de 13 anos, prepara-se para deixar a agência na segunda quinzena deste mês. Jorge Castanheira integrava a agência do grupo WPP desde 2007, tendo sido director-geral da Wunderman durante 12 anos. Desde o final de 2018 trabalhou na integração das equipas com vista à concretização da fusão a nível local juntamente com Susana de Carvalho, profissional que deixou igualmente a Wunderman Thompson no início deste ano após três décadas no grupo WPP, as duas últimas como responsável da JWT.

“Orgulho-me muito do percurso que fizemos juntos, ao longo destes anos, conseguimos fazer uma transformação digital, essencialmente, com os recursos que existiam na casa e transformámos em poucos anos uma agência de pensamento analógico numa agência que pensa, acima de tudo, nas potencialidades da experiência do consumidor com as marcas, independentemente do formato ou do meio”, salienta, em comunicado, Jorge Castanheira, manifestando “um profundo respeito por todos os colaboradores que me acompanharam ao longo destes anos”. Relativamente ao futuro após a saída, o profissional refere apenas que “ainda é prematuro falar sobre ele”. “Por agora, este comunicado é também um até já”, afirma, sem adiantar mais detalhes.

Jorge Castanheira iniciou o seu percurso profissional no marketing da Refrige/Coca-Cola, onde esteve cinco anos, tendo passado para o universo das agências de publicidade em 1997. Passou pela Euro RSCG (actual Havas) e em 2000 integrou a equipa que lançou a Proximity Portugal. Em 2007 muda-se para a Wunderman, ocupando durante 12 anos o cargo de director-geral da agência. Foi também um dos responsáveis pela integração da excentricGrey no grupo Y&R, actualmente VMLY&R, tendo assegurado a gestão no primeiro ano de integração.

Com a saída da Wunderman Thompson, Jorge Castanheira deixa igualmente os cargos institucionais onde representava a empresa, quer na direcção da APAP quer no conselho fiscal da AMD.

Deixe aqui o seu comentário