Financiamentos ao cinema e audiovisual “têm que ser reavaliados”

Por a 13 de Maio de 2020

Nuno Artur SilvaNuno Artur Silva, secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, afirmou hoje que os financiamentos ao cinema e audiovisual “têm de ser reavaliados” tendo em conta o regresso a “uma nova normalidade”, por causa da covid-19. “Este regresso não é à normalidade, é a uma nova normalidade e exige medidas financeiras e uma reavaliação completa do tipo de cinema, séries e documentários que estamos a fazer. Têm de ser reavaliados em função do que pode ser filmado”, disse, citado pela Lusa, numa audição da comissão parlamentar de Cultura e Comunicação. Sobre o retomar de actividade, Nuno Artur Silva admitiu que o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) possa recorrer ao saldo de gerência,  que em 2018 era de 17,5 milhões de euros, “no contexto das medidas de relançamento” do sector. “Estamos a refletir com as várias associações”, disse. Nuno Artur Silva adiantou também  que já está aprovado um manual com medidas de segurança e higiene “que deve ser tido em conta” pelas produtoras que querem voltar a filmar.

A revisão do plano estratégico da RTP, a criação de um novo plano estratégico para o cinema e audiovisual e a “transposição da directiva audiovisual, que vai criar obrigações para os investidores estrangeiros” são outros dos instrumentos nos quais a tutela pretende trabalhar.

“Na televisão há um predomínio do entretenimento mais ligeiro e no cinema há um domínio do mais artesanal. Não construíram uma indústria e revela a fragilidade não só do lado dos investimentos, mas do sector que não tem capacidade de reacção, até ao nível das associações”, disse, para realçar que o sector que tutela é frágil.  “Não tem a ver só com a falta de investimento, mas com o modelo de existência do cinema e audiovisual”, porque as duas áreas “não construíram uma indústria”, cita a Lusa.

Deixe aqui o seu comentário