Deeply transforma beachwear em insidewear para campanha de Verão (com vídeo)

Por a 14 de Maio de 2020

DeeplyComo se pode lançar uma colecção de roupas de praia em tempo de isolamento e filmar uma campanha de Verão sem sair de casa? É assim que surge o conceito da nova campanha da Deeply, com criatividade da SA365, que transforma beachwear em insidewear para apresentar a próxima colecção de roupa de praia da marca a partir das casas de cinco criadoras de conteúdo: a francesa Marie Pfisterer e as suas companheiras de casa, em Biarritz. A campanha pretende ser uma “carta ao Verão”, tendo sido filmada e produzida em casa “substituindo surf por couch surfing, areais por varandas e ondas do mar por chuveiros”.

“Em momentos como os que estamos a viver, as marcas têm que se conseguir reinventar e é importante passar mensagens que, para além de responsáveis, sejam positivas e nos façam sorrir e sonhar”, afirma Mónica Pimentel, CEO da marca portuguesa de surf, explicando que “o desafio lançado à SA365 foi o da criação de uma campanha de apresentação da colecção de beachwear da Deeply que, por um lado, fosse sensível ao contexto de afastamento social em que vivemos, de forma real mas positiva, e que, acima de tudo, conseguisse criar empatia, desejo e interesse pela marca”. “O grande problema é que desta vez a campanha teria que ser criada e filmada dentro de casa. Assim, o que poderia parecer uma missão, senão impossível pelo menos pouco estimulante, acabou por se transformar numa produção super engaging que superou claramente as nossas expectativas”, descreve a responsável.

Nas palavras de Ana Vilela, directora criativa da SA365, “o poder da co-criação está na construção de narrativas autênticas, na sinergia de criatividade com storytelling”. “Quando a história é relevante a criatividade ganha uma força tremenda. É importante criar um ambiente criativo colaborativo, pois é dessa troca de experiências, linhas de orientação, referências que conseguimos expandir conhecimentos, evoluir como marca, fortalecer relações/parcerias”, aponta.

Deixe aqui o seu comentário