Imprensa regional: 30 publicações deixaram de imprimir e metade corre o risco de fechar

Por a 16 de Abril de 2020
João Palmeiro, presidente da APImprensa

João Palmeiro, presidente da APImprensa

A imprensa regional enfrenta um cenário preocupante, com as dificuldades provocadas pela pandemia covid-19 a ditarem a suspensão da impressão de cerca de 30 publicações, das quais metade correm mesmo o risco de encerrar. O diagnóstico é traçado por João Palmeiro, presidente da Associação Portuguesa de Imprensa, que adianta estarem em causa os postos de trabalho de cerca de 150 pessoas, excluindo os colaboradores à peça ou a título voluntário.

“Até hoje deixaram de imprimir cerca de 30 publicações de vários pontos do país. E, dessas 30 publicações, mais de metade não têm operação digital, são publicações que correm o risco de desaparecer mesmo”, alertou João Palmeiro em declarações à agência Lusa, precisando que em causa estarão, sobretudo, publicações de pequena dimensão “com poucos trabalhadores e, em muitos casos, até com pessoas que trabalham de boa vontade”. O presidente diz não ter ainda dados sobre quantas destas empresas terão recorrido ao lay-off simplificado e reconhece não ter uma contabilização exacta sobre o número de trabalhadores afectados, mas assegura que “no mínimo, estarão envolvidas cerca de 150 pessoas”.

As principais dificuldades prendem-se com a quebra nas receitas publicitárias já que, explica João Palmeiro, “os grandes anunciantes da imprensa regional são aqueles que foram obrigados a fechar pela pandemia”. “Nem há aqui uma questão de queriam ou não queriam. Foram obrigados”, sublinha, referindo que “infelizmente a única actividade da imprensa regional que não desapareceu foram os obituários”. A APImprensa, afirma o presidente da associação, tem estado em contacto com o governo mas, até à data, não há uma resposta concreta do executivo quanto a apoios para a imprensa.

Deixe aqui o seu comentário