Audiência da rádio regressa a valores de 2018

Por a 7 de Abril de 2020

radio_4O consumo de rádio em Portugal apresentará uma descida face ao patamar registado nas duas primeiras vagas do último ano, situando-se numa Audiência Acumulada de Véspera de 58,1%. Números que comparam com aproximadamente 60% no intervalo das duas primeiras vagas de 2019, ano marcado por audiências históricas no meio rádio em Portugal. Os dados são apresentados pela Marktest, que, apesar de a nova vaga do Bareme Rádio ser publicada apenas no próximo mês de Maio (correspondente ao fecho da vaga de Abril), disponibiliza um comunicado extraordinário ao mercado com vista a aferir o impacto da crise covid-19 nas audiências de rádio.

“Considerando a situação especial, a Marktest e os principais grupos de rádios acordaram em disponibilizar dados gerais de audiências, após o fecho da vaga intermédia de Março. Esta vaga não tem, numa situação normal, divulgação de resultados oficiais”, ressalva a empresa de estudos de mercado. “Atendendo à necessidade do mercado melhor perceber o impacto da covid-19 nas audiências de rádio, a Marktest disponibiliza um comparativo de tendência do indicador AAV%, comparando valores da última vaga oficial, da vaga intermédia e dos dados específicos mês de Março”, justifica a empresa em comunicado.

De acordo com os resultados agora disponibilizados, “os dados mais recentes de Audiência Acumulada de Véspera para o Total Rádio apontam para um valor ligeiramente inferior ao patamar registado nas vagas de 2019, que era de aproximadamente 60%”. “Esse indicador de consumo de rádio está agora um pouco mais abaixo, ao nível do valor do fecho de 2018 (-58%), e dentro do intervalo de variação dos últimos cinco anos”, indica a Marktest, deixando a ressalva de que “o resultado de AAV do mês de Março é divulgado a título excepcional e deve ser lido apenas como indicador de tendência tendo em conta as respectivas limitações de representatividade”.

Deixe aqui o seu comentário