Mais de 90 por cento dos eventos cancelados. Associação do sector pede mais medidas

Por a 16 de Março de 2020

Antonio Marques VidalA APECATE (Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos) sustenta que mais de 90 por cento dos eventos agendados foram cancelados, impactando um sector que conta com 30 mil trabalhadores directos, a que se juntam colaboradores a recibos verdes.

A preservação dos empregos e manutenção das empresas abertas são as duas grandes linhas de acção da APECATE na crise provocada pelo novo coronavírus. “O governo tem tido grande abertura, todos os dias ouve as nossas sugestões e propostas, analisa e vai tomando algumas das medidas que avançamos. Algumas, mas não todas. Consideramos que muitas das medidas já comunicadas poderão ainda não estar totalmente fechadas, poderão ir sendo complementadas, daí que precisemos de trabalhar diariamente”, refere António Marques Vidal, presidente da APECATE.

Além das medidas anunciadas pelo governo, a mesma associação defende várias medidas que permitam a “sobrevivência das empresas” como o não pagamento de impostos (IVA/TSU/IRS) ou adiamento do seu pagamento sem juros a partir de Março, a abertura de linhas de crédito imediato dirigido a micro e PME, a possibilidade de períodos de carência a empresas que tenham empréstimos à banca e colocar em formação remunerada pelo IEFP profissionais freelancers e a recibos verdes.

Este fim-de-semana o governo anunciou que só se podem realizar eventos, quer em espaços cobertos como ao ar livre, para um máximo de 100 pessoas.

Deixe aqui o seu comentário