Vasco Pulido Valente (1941-2020)

Por a 21 de Fevereiro de 2020

Vasco Pulido ValenteFaleceu aos 78 anos o ensaísta, historiador e comentador político Vasco Pulido Valente. Considerado um dos mais corrosivos cronistas da política e costumes nacionais, colaborou com os jornais Expresso, O Tempo, Diário de Notícias e a revista Kapa. É ao semanário O Independente e ao Público, onde escreveu durante mais de uma década, que o seu nome é mais associado enquanto cronista. Chegou ainda a colaborar com o Observador entre 2016 e 2017, tendo depois regressado ao Público. Teve ainda uma curta experiência como comentador do então Jornal Nacional. Deixou a TVI logo a seguir ao afastamento de Manuela Moura Guedes da condução do formato noticioso.

Integrou o VI Governo Constitucional de Sá Carneiro como Secretário de Estado da Cultura. Apoiou Mário Soares na sua primeira candidatura presidencial e seria eleito, em 1995, deputado à Assembleia da República, pelo PSD. Abandonou o cargo ao fim de quatro meses.

Enquanto historiador e ensaísta, Vasco Pulido Valente deixa uma obra com dezenas de títulos, onde constam O Poder e o Povo, Os Devoristas: A Revolução Liberal, Os Militares e a Política ou Glória: Biografia de J. C. Vieira de Castro. Na vertente histórica especializou-se no século XIX e na Primeira República.

O corpo de Vasco Pulido Valente estará em câmara ardente no domingo, 23 de Fevereiro, a partir das 19h, no Centro Funerário de Cascais, em Alcabideche. No dia seguinte, 24 de Fevereiro, pelas 14h terá início a cremação no mesmo Centro Funerário de Cascais.

Deixe aqui o seu comentário