O que significa o Pacto Português para os Plásticos

Por a 5 de Fevereiro de 2020

plasticosA Sonae, a Jerónimo Martins, o Lidl, a Nestlé, a Coca-Cola e a Delta Cafés estão entre as cerca de 50 empresas e outras organizações que assinaram esta terça-feira o Pacto Português para os Plásticos, um compromisso criado pela Smart Waste Portugal, plataforma de investigação e desenvolvimento para a economia circular que conta com mais de 100 associados, entre eles a Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED).

São cinco as metas visadas neste pacto, que conta com o apoio do Ministério do Ambiente e da Acção Climática e da rede de Pactos para os Plásticos da Fundação Ellen MacArthur (a qual engloba outros países, como Reino Unido, Chile e França).

Entre os objectivos está a intenção de atingir 100% de plástico reciclável nas embalagens até 2025, a incorporação de 30% de plástico reciclado na produção de novo plástico, diminuindo assim a utilização de matéria-prima virgem, e de chegar aos 70% das embalagens usadas feitas com plástico reciclado, entre outros.

Os últimos dados apurados pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), referentes ao ano de 2017, apontam que 35% das embalagens de plástico foram encaminhadas para reciclagem e, dessas, 12% são recicladas, indicou esta manhã Aires Pereira, presidente da direcção do Smart Waste Portugal, em entrevista à Sic Notícias. O responsável explica que, entre as signatárias, estão empresas que operam em toda a cadeia de valor, desde a produção à distribuição, passando pela gestão de resíduos.

Além das supracitadas, entre as signatárias deste pacto estão também a Federação das Indústrias Portuguesas Agroalimentares (FIPA), a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), a sociedade Eletrão, as universidades Nova de Lisboa, de Coimbra e de Trás-os-Montes e Alto Douro, assim como as autarquias das câmaras de Lisboa e de Póvoa de Varzim – da qual Aires Pereira é também presidente (pelo PSD), explica a Lusa -, entre outras.

A criação deste pacto tinha sido já anunciada em setembro passado, num evento organizado pela associação Smart Waste Portugal, em Serralves, no Porto. Na ocasião, foi revelado que, entre as medidas assumidas neste compromisso, estão também a criação de um guia de boas práticas e de uma plataforma online para gestão de desperdícios, a desenvolver durante este ano.

Também para este ano, o pacto prevê a elaboração de uma lista de todos plásticos de uso único desnecessários e de um plano para a sua eliminação, apostando no desenho que favoreça a reutilização e novos modos de entrega dos produtos, segundo apurou a Lusa.

Os membros do Pacto Português para os Plásticos assumem assim um trabalho em direcção à visão global da Nova Economia dos Plásticos, da Fundação Ellen MacArthur, que se caracteriza por “incentivar uma economia circular para os plásticos, na qual estes nunca se convertem em resíduos”, lê-se na página da Smart Waste Portugal.

Fonte: HiperSuper

Deixe aqui o seu comentário