Tendências de marketing para 2020

Por a 24 de Janeiro de 2020

Pedro Mendes (1)A abordagem sobre as tendências de marketing para 2020 implica a consideração dos pressupostos associados ao marketing 3.0 (o consumidor enquanto ser humano com preocupações efectivas em relação ao mundo que o rodeia) e ao marketing 4.0 (o consumidor enquanto ser digital e um mundo em permanente transformação tecnológica).
Poderemos falar de um conjunto de pressupostos que estarão associados com a construção de um novo paradigma na área de marketing, ficando apenas a dúvida acerca da sua consolidação já em 2020.

Numa primeira análise deveremos considerar dois conceitos importantes para o próximo ano. Teremos uma maior consolidação da perspectiva de marketing omnicanal (todos os meios e todos os canais sincronizados e em sintonia) e não apenas da sua versão multicanal (vários meios e vários canais).

O marketing em 2020 terá também como contexto, componentes digitais e tecnológicas associadas a digitalização, customer experience, inteligência artificial, automação ou realidade aumentada. Neste sentido teremos de considerar a necessidade de implementação de novas ferramentas de análise. Ao considerarmos a dimensão tecnológica/digital, esta implica uma maior celeridade de processos, mas também a adopção de práticas de monitorização capazes de medir instantaneamente a performance de toda e qualquer campanha. A lógica será a de uma permanente aplicação integrada de modelos de diagnóstico-prescrição-controlo.

Podemos também referir a definitiva substituição formal do conceito de consumidor para passarmos a assumir o conceito de consumidor enquanto pessoa. O cenário será o de uma aposta maior na personalização das marcas dado que estas não conseguirão comunicar de forma transversal para um conjunto de consumidores que buscam uma experiência única. O conceito de customer centric terá grande relevância nos processos de ajuste entre os modelos de negócio e o ponto de vista do cliente, bem como o conceito de marketing de influência através da utilização de embaixadores.

O marketing colaborativo e os processos de co-criação ocuparão destaque em 2020 com associação directa a novos conceitos e novas ferramentas de marketing relacional. O acto de acompanhar de perto o cliente, compreender as suas dimensões pessoais e profissionais, conhecer as suas necessidades, ambições e preocupações são pressupostos fundamentais para a geração de valor e para a promoção de novos capitais de satisfação e de superação.
Por sua vez, a aplicação do marketing de conteúdo permitirá estimular e conquistar novos clientes, bem como fidelizar através de pressupostos de lealdade com as marcas. A este nível será tão importante o processo de criação de conteúdos como o processo de supervisão de curadoria. A lógica da utilização de aplicações e a tendência do conteúdo de consumo rápido terá especial relevância em contexto online.

Por fim, não podemos deixar de referir que as políticas de marketing terão obrigatoriamente maiores preocupações de natureza ambiental e de responsabilidade social. Tratam-se de temas sensíveis para o “consumidor humano”. Marcas que se preocupem com o meio ambiente que circunda o consumidor estarão na senda da liderança pelo espaço na mente do referido consumidor.

Artigo de opinião de Pedro Mendes, director do IPAM Lisboa

Deixe aqui o seu comentário