Aumento de capital da Cofina em 85 milhões de euros está garantido em 70%

Por a 30 de Janeiro de 2020
Octávio Ribeiro, Luís Santana e Paulo Fernandes (Cofina)

Octávio Ribeiro, Luís Santana e Paulo Fernandes (Cofina)

O aumento de capital da Cofina com vista à aquisição da Media Capital foi aprovado esta quarta-feira pelos accionistas do grupo, que deram luz verde a um reforço na ordem dos 85 milhões de euros. Em assembleia-geral extraordinária, onde esteve reunido 74,66% do capital social e direitos de voto do grupo de media liderado por Paulo Fernandes, foi deliberada a alteração dos estatutos “autorizando o conselho de administração para, mediante parecer prévio favorável do conselho fiscal, deliberar o aumento do capital social da sociedade, por uma ou mais vezes, por entradas em dinheiro, num montante global máximo de 85.000.000,05 euros (oitenta e cinco milhões de euros e cinco cêntimos)”, informou, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a dona do Correio da Manhã e da CMTV.

O grupo confirmaria ainda, num segundo comunicado emitido horas mais tarde, que “o conselho de administração da Cofina deliberou, com o prévio parecer favorável do conselho fiscal, o aumento do capital social”, passando “de 25.641.459,00 euros (vinte e cinco milhões, seiscentos e quarenta e um mil e quatrocentos e cinquenta e nove euros) para 110.641.459,05 euros (cento e dez milhões, seiscentos e quarenta e um mil, quatrocentos e cinquenta e nove euros e cinco cêntimos)”.

De acordo com a informação transmitida à CMVM, esse aumento de capital será concretizado “através de Oferta Pública de Subscrição com subscrição reservada a accionistas no exercício do direito de preferência e demais investidores que adquiram direitos de subscrição, através da emissão de 188.888.889 (cento e oitenta e oito milhões, oitocentos e oitenta e oito mil, oitocentas e oitenta e nove) novas acções ordinárias, escriturais e nominativas, sem valor nominal”.

“Após a subscrição integral do aumento de capital, o número resultante de acções ordinárias da Cofina passará a ser de 291.454.725 (duzentos e noventa e um milhões, quatrocentos e cinquenta e quatro mil, setecentas e vinte e cinco)”, esclarece o grupo no mesmo comunicado, indicando que “o preço de subscrição foi fixado em 0,45 euros (quarenta e cinco cêntimos) por cada acção”.

Com mais um passo dado para a concretização do negócio de aquisição da Media Capital, a Cofina salienta que “pretende dar início a esta oferta no mais breve prazo possível, após aprovação do respectivo prospecto pela CMVM e a publicação deste e do aviso para o exercício de direitos de subscrição, nos termos legais”, adiantando ainda que, “no contexto da oferta, os accionistas Promendo Investimentos, S.A., Caderno Azul, S.A., Actium Capital, S.A., Livrefluxo, S.A. e Valor Autêntico, S.A. e a sociedade Pluris Investments, S.A. apresentaram compromissos ou intenções de subscrição de novas acções, no montante global de aproximadamente 60.000.000 euros (sessenta milhões de euros)”.

Em resultado destes compromissos, a Cofina garante já 70% do aumento de capital que, refere o comunicado enviado à CMVM, “visa o financiamento parcial da aquisição da participação directa da Promotora de Informaciones (Prisa) na Vertix, e indirecta na grupo Media Capital, bem como uma reestruturação da dívida do emitente após a aquisição desta sociedade”.

Recorde-se que, também esta quarta-feira, os accionistas da Prisa aprovaram, em assembleia-geral extraordinária, a venda da Media Capital, dando luz verde à alienação de 100% do capital da Vertix SGPS à Cofina, o que “implica a transmissão indirecta de 94,69% do capital do grupo Media Capital SGPS, SA”.

Deixe aqui o seu comentário