As tendências de marketing para 2020, segundo o Facebook

Por a 17 de Janeiro de 2020

JavierCom a chegada do ano 2020, tendências como messaging, realidade aumentada, realidade virtual e a personalização estão a moldar a experiência do consumidor. Para conhecer as pessoas onde elas estão, as empresas podem preparar-se para adotar novas estratégias e ferramentas de marketing para captar a atenção, melhorar o suporte ao cliente e gerar resultados de negócios.

Ligar-se aos clientes através de chat

O messaging (troca de mensagens) é a forma como as pessoas comunicam com amigos e familiares e, a partir de agora, esperam também o mesmo tipo de facilidade e velocidade de comunicação com as empresas. Desde agendar um compromisso, perguntar informações como o horário de funcionamento de uma loja, ou a obtenção de conselhos personalizados sobre uma compra, as pessoas recorrem ao chat para facilitar a comunicação com as empresas. E, à medida que esse factor de conveniência se torna cada vez mais importante para os consumidores de hoje em dia, as empresas têm a oportunidade de melhorar a forma de atendimento e transformar compradores interessados em compradores efectivos.

De forma a criar uma experiência de troca de mensagens eficaz para a empresa, é fundamental tentar antecipar-se ao que as pessoas vão querer falar com a marca e considerar também como se pode expressar a personalidade da marca durante a conversa. É importante responder às mensagens dos clientes com a maior brevidade possível, idealmente dentro de algumas horas. E para ajudar a acompanhar as conversas em grande escala, é fundamental considerar a utilização de ferramentas automatizadas como as respostas instantâneas ou as respostas salvas no Messenger para responder a perguntas e solicitações comuns com apenas um clique. É também possível explorar a construção de uma experiência de mensagens mais avançada para os clientes com um bot de mensagens.

Experimentar com Experiências Imersivas

Os filtros de rosto e as animações de stories fizeram da realidade aumentada uma parte da comunicação quotidiana, com a realidade virtual em ascensão. Mas essas novas tecnologias não são apenas para consumidores, oferecendo também oportunidades para as empresas criarem experiências de compra mais imersivas para os seus clientes. Assim, em 2020, é fundamental pensar em como a realidade aumentada e a realidade virtual podem ajudar a atrair compradores e a alcançar as metas de negócio definidas.

A realidade aumentada e a realidade virtual podem combinar a conveniência das compras online com a confiança resultante da experimentação dos produtos em loja. É algo que pode ajudar a mover as pessoas na sua experiência de compras, permitindo que visualizem e experimentem produtos antes de efectivamente fazerem uma compra. Por exemplo, as marcas de beleza podem criar experiências de realidade aumentada com o objectivo de permitir que as pessoas experimentem maquilhagem e vejam como ficam antes de fazerem o check-out. As empresas de viagem, por sua vez, podem experimentar a realidade virtual para criar experiências mais imersivas que permitem que as pessoas vejam um destino e se inspirem para reservar a sua próxima viagem.

Assim, para acompanhar os consumidores, as marcas devem experimentar como podem utilizar a realidade aumentada e a realidade virtual para despertar a atenção dos consumidores e motivá-los para a compra.

Foco na Personalização

Os consumidores de hoje, sobretudo as gerações Z e Millennials, esperam experiências online altamente personalizadas. E à medida que a expectativa por conteúdo relevante aumenta, isto também inclui as empresas. Para disponibilizar conteúdo com o qual o público-alvo se identifique, é necessário começar pelo formato que melhor funciona para esse público. Por exemplo, enquanto os anúncios de stories interactivos podem traduzir-se numa forma eficaz de se conectar com adolescentes, uma experiência de compra guiada no Messenger pode ser mais adequada para ajudar um adulto a seleccionar um presente para alguém especial.

Deve considerar-se o que se sabe sobre a audiência, como a idade, o sexo ou um hobby comum, e aproveitar essas informações para tornar os anúncios mais relevantes. Outra sugestão é a vinculação de campanhas a momentos culturais, como eventos desportivos ou feriados, para alcançar as pessoas quando estas se encontram altamente envolvidas com algo pelo qual são apaixonadas.

E, como sempre, deve testar-se e medir-se os resultados de diferentes versões de anúncios e experiências de marca para perceber quais se identificam mais com a audiência e funcionam melhor para o negócio em questão.

Artigo de opinião de Javier Fernández-Peña, head of agencies do Facebook para Portugal

Deixe aqui o seu comentário