Por onde andou o investimento publicitário em 2019?

Por a 20 de Janeiro de 2020
Notas Euro

Notas EuroA Unilever assumiu-se como o maior anunciante do mercado português no último ano, movimentando um investimento publicitário na ordem dos 390,9 milhões de euros (valor a preços de tabela), segundo os dados preliminares de encerramento do ano da MediaMonitor. Duas marcas de telecomunicações ocupam os restantes lugares do pódio, com a Vodafone a totalizar um investimento a rondar os 318,3 milhões de euros, seguida pela NOS, que ocupou a terceira posição ao investir cerca de 312,1 milhões de euros. Continente (299,4 milhões) e Altice (276,9 milhões) encerram o top 5 no ranking dos anunciantes.

Entre as agências de meios, a OMD foi aquela que movimentou maior volume de investimento publicitário no acumulado de Janeiro a Dezembro de 2019. Segundo dados MediaMonitor, a preços de tabela, a agência do Omnicom Media Group foi responsável por um investimento de 1,26 mil milhões de euros. A segunda posição ficou nas mãos da Wavemaker, que totalizou um investimento a rondar os 1,22 mil milhões de euros, seguida pela Arena, que fecha o ano com 1,15 mil milhões de euros. O top 5 fica completo com a Carat (1,11 mil milhões de euros) e Initiative (mil milhões de euros).

A Havas Worldwide Lisboa liderou o ranking das agências criativas com um investimento próximo dos 830 milhões de euros, a preços de tabela. Nos lugares seguintes surgem a Fuel (686,7 milhões), a Wunderman Thompson (593,5 milhões), a BAR Ogilvy (443 milhões) e a Partners (436,5 milhões).

No mês de Dezembro, o maior anunciante do mercado português foi a Vodafone, com um investimento na ordem dos 37,6 milhões de euros, sucedendo ao Continente. A insígnia da Sonae, que liderou o investimento em Novembro, ocupou no último mês do ano a segunda posição ao investir, a preços de tabela, perto de 31,9 milhões de euros. Procter & Gamble (28,7 milhões de euros), Reckitt Benckiser (25,7 milhões) e Worten (24,2 milhões) completaram o top 5 do ranking de anunciantes. Já nos rankings das agências, as lideranças pertenceram à Fuel (85,7 milhões de euros) e Arena (115 milhões de euros), à frente das agências criativas e de meios, respectivamente.

Deixe aqui o seu comentário