destaque

Brasileiros batem à porta dos eventos

Por a 22 de Fevereiro de 2019


Pedro Gameiro

A agência brasileira Red Door Agency abriu escritório em Lisboa. Depois de ter ganho no ano passado a conta da EDP no Brasil, começou a desenvolver planos para a Europa. Pedro Gameiro está à frente da operação em Portugal

A brasileira Red Door Agency começou a operar em Portugal. À frente da agência está Pedro Gameiro, que depois de vários anos no Brasil como director de desenvolvimento de negócios da Red Door Agency, está agora de regresso a Lisboa para implementar a internacionalização.
“A agência vem-se consolidando no mercado brasileiro e internacional de brand experience. Com o decorrer dos anos acompanhamos a tendência do mercado e posicionamo-nos como uma agência especializada em experiência de marca, para gerar negócios no mundo do entretenimento e comunicação”, explica ao M&P o profissional português. Nesta fase de arranque, a Red Door Agency tem em mãos a produção e organização do The Gentlemen’s Market, que se realizará em Maio, em Lisboa. “É um evento direccionado para homens com marcas icónicas e produtos exclusivos com uma experiência de compra pensada para esse consumidor exigente. Temos apresentado o trabalho da agência a novos clientes e parceiros e, em breve, poderemos anunciar alguns projectos proprietários na área de entretenimento, mas que ainda não podemos divulgar”, prossegue. A empresa entra em Portugal com o apoio da Triologia Xperience, presente há 11 anos no mercado nacional e com quem firmou uma parceria técnica para a pré-produção e backoffice.
No Brasil no portfólio da agência está o evento Heineken F1- Experience, que decorreu no Rio de Janeiro e Porto Alegre e contou com uma assistência de 135 mil pessoas. O tricampeão mundial de F1, Jackie Stewart, a par dos ex-pilotos Felipe Massa e Rubens Barrichello, participaram no evento que teve ainda uma componente musical. “Para produzir um evento desse tamanho, em área pública e totalmente aberto, foi necessário muito trabalho e estratégia. Todo o planeamento estratégico, desde a criação à realização do evento, foi desenvolvido pela Red Door Agency, dedicámos oito meses de trabalho”, conta Pedro Gameiro, adiantando que o evento envolveu duas mil pessoas na organização. A agência é também responsável pela transformação do evento SAP Forum Brasil em SAP Now, que este ano terá a participação de 15 mil pessoas. No entanto, é graças à EDP que a agência fundamenta esta ambição internacional. “A EDP é um grande cliente e levou-nos a consolidar um pensamento que já vínhamos desenvolvendo há algum tempo. Quando ganhámos a conta da EDP Brasil, em Maio do ano passado, foi uma enorme conquista, o que fez o nosso sonho de abrir uma sucursal em Portugal ganhar ainda mais força”. Para a EDP Brasil, a agência assume “a conta ATL e de marketing e endomarketing, ou seja, fazemos campanhas de comunicação interna, marketing da marca e marketing de distribuição, com demandas diárias. Para a empresa desenvolvemos, recentemente, a Corrida de Rua da EDP, que contou com a participação cerca de três mil pessoas”, descreve.
Entre os principais clientes da Red Door Agency no Brasil estão também a Bloomberg, Danone, Google, Motorola, Raia Drogasil e P&G.“Entendemos que fazemos negócios como experiências de marca. O que é isso? Trabalhamos inteligência criativa, de produção e de negócios para viabilizar os melhores projectos para os nossos parceiros e clientes”. Lisboa deverá funcionar como um pólo para o desenvolvimento de novos negócios na Europa. “As grandes marcas e empresas já entenderam isso e vêm trabalhando nesse sentido. Essa proximidade é muito importante, por isso escolhemos iniciar a operação por aqui, de onde pretendemos atender outros países, da mesma forma que a partir de São Paulo desenvolvemos acções para a América Latina. Para além disso posicionamo-nos como uma opção para atender marcas brasileiras que pretendam entrar no mercado europeu”, considera Pedro Gameiro. “O mundo olha para Portugal e as grandes marcas começam a considerar o mercado português para lançamentos de produtos globais e a realização de grandes convenções. Boa parte dos 15 mil milhões de euros movimentados pelo turismo no ano passado dizem respeito aos eventos que se multiplicam pelo nosso país”, reforça.

Deixe aqui o seu comentário