Nowo terá recusado propostas de todas as operadoras para distribuição dos canais da Eleven Sports

Por a 3 de Agosto de 2018

Eleven SportsNOS, Meo e Vodafone tetão avançado com propostas para garantir a distribuição dos canais da Eleven Sports, cuja operação em Portugal arranca no dia 15 de Agosto, mas estas terão sido recusadas pela Nowo. A notícia é avançada pelo Jornal de Negócios, que cita fontes do sector para adiantar que haverá falta de entendimento relativamente às propostas e que a Nowo, que está a representar a Eleven Sports nas negociações com os restantes operadores no mercado português, não terá ainda retomado o contacto com NOS, Meo e Vodafone no sentido de fazer uma contra-proposta. Ao título da Cofina, a Nowo assegurou, no entanto, que “todas as propostas apresentadas mereceram a melhor atenção e foram respondidas em tempo útil”.

Recorde-se que, em entrevista ao M&P, Jorge Rodrigues, chief marketing officer da Nowo, esclareceu que a inexistência de acordo até ao momento se deve ao facto de as restantes operadoras terão levantado algumas questões relativamente à distribuição dos conteúdos que “são questões mais burocráticas do que outra coisa”. “Queremos todos ter a certeza, para que fique bem claro, quais são os direitos que estão incluídos, se os valores estão todos correctos, se todas as formalidades são cumpridas, de modo a que fique tudo certo e não haja depois dúvidas mais tarde. Fica já, desde o início, tudo acertado para que depois apenas nos preocupemos em comercializar o produto e não estejamos a discutir mais tarde outros temas”, justificou.

Ao M&P, o responsável referiu que neste momento estão ainda na fase de resposta a essas questões e que este “tem sido um trabalho com mais de um mês que todos temos vindo a fazer em conjunto, com reuniões todas as semanas, bastante intensas porque estamos a falar de todo um produto que é novo no mercado e com a complexidade que tem”. “Mesmo em termos de equipas técnicas as coisas já estão a acontecer por isso estamos só à espera de fechar estes últimos pormenores para cumprir o dia 15 de Agosto, que é para nós o mais importante”, sublinhou, assegurando que “o objectivo sempre foi garantir a cobertura total do país com a participação de todas as operadoras” e que “nunca foi um cenário que nós colocássemos, que o produto ficasse exclusivo connosco”.

Deixe aqui o seu comentário