Televisão Pública de Angola e Semba em troca de acusações

Por a 5 de Janeiro de 2018

TPA2A administração da Televisão Pública de Angola (TPA) descreveu como “leonino e de caráter abusivo” o contrato que vigorou até final de 2017, com empresas de dois filhos do ex-presidente angolano, para gestão da TPA 2.
De acordo com a Lusa, o novo conselho de administração da televisão pública, nomeado pelo presidente João Lourenço, criticou em comunicado a forma como os contratos com a Semba Comunicação e Westside Investiments, foram implementados desde 2007, envolvendo, além da gestão da TPA 2, a TPA Internacional. Além disso, queixa-se que a TPA2 ficou em 2017 “num medíocre 7.º lugar no ranking de audiências”,
“Apenas de acordo com os contratos a que tivemos acesso, assinados entre a Westside/Semba, a TPA e o Ministério da Comunicação Social, e renovados em 2014, o total dos pagamentos por ano efectuados pelo Estado àquelas empresas privadas ascendiam aos 17.580.000 de dólares [14,8 milhões de euros]”, cita a Lusa.
A Semba Comunicação tem como sócios os irmãos Welwitschea ‘Tchizé’ e José Paulino dos Santos ‘Coreon Du’, filhos de José Eduardo dos Santos. “Apenas a título de exemplo, refira-se que uma das cláusulas do contrato referente à TPA 2 obrigava o Estado a adjudicar o canal 2 da TPA à Westside Investiments SA, por ajuste directo, em caso de privatização do mesmo”, aponta a administração da TPA.
Esta quarta-feira, também de acordo com a Lusa, a administração da Semba esclareceu que no âmbito do “acordo comercial de parceria” entre TPA e a empresa privada Westside Investments, a Semba Comunicação “foi contratada pela segunda”, por 50 milhões de kwanzas (250 mil euros) mensais.
O contrato, suspenso 15 de Novembro de 2017, envolvia “prestar serviços técnicos de produção de conteúdos, gestão de grelha, assistência técnica e formação de quadro”, o que a Semba Comunicação afirma, segundo a Lusa, representar “cerca de um décimo, comparativamente ao orçamento mensal da TPA”, que operam os dois canais nacionais e um internacional.

Deixe aqui o seu comentário