Impresa deixa cair emissão obrigaccionista de 35 milhões

Por a 23 de Julho de 2017

A Impresa suspendeu na última sexta-feira a emissão obrigacionista que lançou no início de Junho e através da qual pretendia encaixar até 35 milhões de euros. Em comunicado enviado ao final da tarde à CMVM, a dona da SIC e do Expresso explicava que “tomou a decisão de interromper o processo de emissão de obrigações a subscrever por investidores qualificados, anunciado a 3 de Julho, atendendo às alterações recentes no sector dos media e ao impacto resultante no sentimento da comunidade de investidores”. A justificação será assim o acordo celebrado entre a Altice e a Prisa para a compra da Media Capital, operação sobre a qual o grupo já se pronunciou afirmando que “é, e sempre foi, a favor da concorrência leal num mercado que funcione de forma sã, bem como do pluralismo na comunicação social”. “Estamos confiantes de que os reguladores portugueses e europeus terão estes dois princípios em conta quando se pronunciarem sobre a operação em causa”.
O prazo, recorde-se, já tinha sido adiado uma vez. E, de acordo com o ECO, “a Impresa tentou assegurar uma colocação e tomada firme, o que não foi possível. Terá tentado junto do BPI, o banco histórico da Impresa, e da Caixa, mas não foi possível confirmar oficialmente esta informação. A operação estava, agora, a ser feita pelo Haitong Bank”. “A operação falhou porque não houve procura por parte dos investidores”, afirma o jornal liderado por António Costa. No comunicado enviado à CMVM, a Impresa termina garantindo que “continuará a acompanhar com atenção e dinamismo a evolução do mercado, de modo a detectar e antecipar o surgimento de condições que favoreçam a estratégia do Grupo”.
A dívida líquida da Impresa era, no final de Março, de 191,6 milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário