Cofina quer destituição de Arons de Carvalho da vice-presidência da ERC

Por a 20 de Julho de 2017

SolO grupo Cofina Media exige o afastamento de Arons de Carvalho de todos os processos que envolvem os títulos do grupo que detém o Correio da Manhã e pede a destituição de funções do vice-presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC). Numa nota publicada no site do Correio da Manhã, o grupo faz saber que entregou na ERC um pedido de suspeição contra Arons de Carvalho, vice-presidente do regulador, cujo objectivo é o afastamento de todos os processos envolvendo o grupo Cofina, além de ter submetido à Assembleia da República uma petição com vista à destituição do cargo “por falta de idoneidade de Arons de Carvalho”.

“Decorrente de uma avaliação ponderada, no seguimento de notícias publicadas até noutros órgãos de informação, referentes às escutas da Operação Marquês, em que José Sócrates transmitia instruções ao referido vice-presidente contra o CM, nunca por este desmentidas, não resta se não apresentar um incidente de suspeição contra Arons de Carvalho”, aponta Martim Menezes, advogado da CCA ONTIER, que representa a Cofina. De acordo uma notícia do semanário Sol, José Sócrates terá pressionado Arons de Carvalho para “uma decisão favorável e por unanimidade” contra o Correio da Manhã. A Cofina considera que, perante esta situação, Arons de Carvalho “tinha o dever de pedir escusa” e que, ao decidir não o fazer “colocou em causa a sua imparcialidade e isenção”.

Deixe aqui o seu comentário