Participação da selecção no Euro 2016 pode gerar retorno até 609 milhões para a economia nacional

Por a 9 de Junho de 2016

euro 2016Um retorno de pelo menos 438 milhões de euros para a economia nacional estará, desde já, garantido pela participação da selecção nacional de futebol no Euro 2016. De acordo com um estudo levado a cabo pelo IPAM, caso não ultrapasse a fase de grupos, os jogos da fase inicial representarão um impacto económico de 438 milhões de euros, sendo que, em caso de vitória na final esse valor pode chegar aos 609 milhões de euros.

No entanto, segundo o estudo, a simples participação neste evento terá resultados económicos significativos, com cerca de 110 milhões durante a fase de estágio e 167 milhões pela participação nos três jogos da fase de grupos. O facto de os portugueses continuarem a acompanhar a competição, mesmo sem a participação da selecção portuguesa, representará um impacto de mais 161 milhões de euros.

O estudo realizado pelo Gabinete de Estudos de Marketing para o Desporto do IPAM revela ainda que a presença de Portugal nos oitavos de final representará um retorno de 27 milhões de euros, o mesmo montante alcançado nos quartos-de-final. Já a qualificação para as meias-finais trará, para a economia nacional, perto de 43 milhões de euros. A presença da equipa das quinas na grande final ascenderá aos 64 milhões de euros.

Os prémios de jogo, a publicidade, a venda de merchandising e de jornais, as viagens de avião, as apostas online e os consumos na restauração e em casa são apenas alguns dos indicadores de impacto. A UEFA espera gerar receitas de 500 milhões no Euro 2016, um valor superior ao alcançado no Euro 2012, que gerou cerca de 300 milhões.

Deixe aqui o seu comentário